Hoje, o termo empreendedorismo está cada vez mais presente no nosso dia a dia para denominar a atividade de pessoas capazes de identificar problemas, oportunidades e encontrar soluções inusitadas e inovadoras. É importante destacar que as mulheres estão cada vez mais empreendendo. Há alguns anos, a porcentagem de mulheres que são as “chefes de domicílio”, teve um aumento de 7%, passando de 38 para 45%, segundo o Sebrae.

O que é empreendedorismo?

Termo bastante utilizado no âmbito empresarial, empreendedorismo pode ser definido como iniciação de novos negócios ou mudanças em empresas que já existem.

Em outras palavras, pode estar diretamente correlacionado com a concepção de novas empresas ou produtos, geralmente envolvendo inovação e riscos.

De acordo com o Sebrae, as mulheres são motivadas a empreender pela necessidade de uma renda extra ou pela conquista da independência financeira. No Brasil, é em média, 9,3 milhões de mulheres à frente de uma empresa, o que representa aproximadamente, 34% de donos de negócios do país. Além disso, essas empreendedoras são mais novas e possuem nível de escolaridade de 16% a mais que os homens. Ainda sim, ganham em torno de 22% a menos que os empresários do sexo masculino.

Segundo o presidente do Sebrae, João Henrique de Almeida Sousa, "o empreendedorismo representa uma importante alavanca para o empoderamento feminino”.

A Mulher empreendedora promove a sua autorealização, estimula o seu desenvolvimento, contribui para o desenvolvimento local, soluciona problemas de maneira eficiente e amplia a base tecnológica, enfim, se torna dona de sua própria história.

Para ser um bom empreendedor é necessário identificar as principais qualidades para usá-las a favor, definir as maiores fraquezas para saber como trabalhá-las.

É preciso saber lidar com grandes responsabilidades. No perfil do empreendedor é essencial ter habilidades sociais e de comunicação. Se desfazer das incertezas, ansiedades, assumir riscos e ter criatividade para resolver problemas e para reagir caso dê errado. Diante de tudo isso, as pessoas empreendedoras precisam manter o foco em seus objetivos, independentemente do que aconteça.

As empreendedoras brasileiras têm atuado principalmente no ramo alimentício, nos serviços domésticos, no comércio varejista ligado à moda e em salões de beleza. Mas é preciso incentivo, afinal, existem inúmeras possibilidades para ser trilhado um caminho para uma maior participação das mulheres nas empresas do país. Afinal, quanto mais empreendedoras, maior confiança e a redução das desigualdades no meio empresarial e social do Brasil.

Siga a página Vagas
Seguir
Siga a página Mulher
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!