O colunista Josias de Souza comenta em sua coluna no portal UOL a saia justa em que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) colocou sua futura Secretaria Especial de Cultura, Regina Duarte.

Entenda a situação

Jair Bolsonaro está respaldado por uma decisão judicial que autoriza a nomeação do jornalista Sérgio Camargo para a Fundação Palmares.

Bolsonaro se referiu de forma carinhosa sobre Camargo e ainda vaticinou que Sérgio Camargo é uma boa pessoa.

O presidente já decretou que Sérgio Camargo retornará para a Casa Palmares. O que significa o primeiro revés para Regina Duarte.

A Fundação Palmares é um órgão ligado à Secretaria Nacional de Cultura, que tem como principais atribuições promover políticas de apoio aos afrodescendentes.

Sérgio Camargo foi escolhido para o comando da Casa Palmares pelo ex-secretário de Cultura Roberto Alvim, aquele mesmo que gravou um vídeo institucional usando a estética do regime de Adolf Hitler, e foi demitido por causa disso.

O jornalista aponta em seu artigo que Camargo é um exemplo pouco visto de afrodescendente racista.

Sérgio Camargo acredita que o movimento negro não tem salvação, e defende sua extinção, para Camargo, fortalecer este movimento seria uma forma de fortalecer a esquerda.

A teoria de Camargo vai mais longe ainda, ele acredita que mesmo que tenha sido algo terrível, a escravidão acabou sendo benéfica para os afrodescendentes.

A nomeação do jornalista foi barrada pela Justiça Federal do Ceará.

Sua nomeação entretanto, recebeu a autorização do ministro João Otávio Noronha, do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

O magistrado não levou em consideração a qualificação da pessoa, somente concluiu não haver impedimento legal para a nomeação de Camargo.

A relação de Regina Duarte com Jair Bolsonaro já passou do "namoro" para o "casamento" político.

Mas, ela ainda não assumiu o cargo na Secretaria de Cultura.

Josias de Souza aponta dois desafios que a atriz irá encontrar pela frente. O primeiro vai ser formar sua equipe e apresentar um plano de trabalho. O outro desafio apontado pelo colunista é o de conseguir conviver com a presença de Sérgio Camargo em sua secretaria.

Seugndo Josias, com este apoio a Sérgio Camargo, Bolsonaro acaba por desmoralizar sua futura secretária de Cultura.

O presidente declarou que o que acontece com Regina é o mesmo que acontece com todos os seus ministros, ou seja, eles têm o poder de contratar e ele, Bolsonaro tem o direito de vetar a decisão de seus comandados.

A atriz por sua vez, parece que está resignada com esta situação, sobre a recondução de Sérgio Camargo para a Casa Palmares ela declarou que: "Decisão judicial, cumpre-se".

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Siga a página Opinião
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!