Nesta segunda-feira (16), Roberto Campos Neto, o atual presidente do Banco Central, anunciou que em breve a plataforma WhatsApp, que foi fundada por Jan Koum e Brian Acton, mas que agora pertence ao Facebook, entrará em pagamentos também.

Em uma recente coletiva com a imprensa, Roberto comunicou que a empresa primeiramente começara apenas com transferências de valores, em um sistema atualmente conhecido como P2P. "WhatsApp vai entrar, vai começar fazendo P2P em breve", disse.

Como funcionará o método de pagamento pelo WhatsApp

"Eu tenho conversado bastante com o CEO do WhatsApp, inclusive ele tem me dito que o processo no Banco Central foi mais rápido do que em outros países", completou Roberto Campos Neto.

O presidente do BC também comunica que estão avançando rapidamente com o processo e que inicialmente começarão com P2P e logo depois irão iniciar P2M (transferência entre pessoas e estabelecimentos).

Roberto também afirma que, no momento, apenas tem uma preocupação, a de conseguir passar por todos os critérios existentes de aprovação para esse processo. Além do WhatsApp, o Banco Central também vem conversando com outras grandes plataformas, como o Google.

WhatsApp irá liberar vendas pelo próprio aplicativo

Foi anunciado pelo Facebook, no dia 22 de outubro, que o aplicativo WhatsApp teria uma nova importante função, não apenas a de mandar mensagens e fazer ligações. O aplicativo passará a oferecer tanto compras pelo próprio aplicativo quanto serviços de hospedagem.

O Facebook, também conhecido como a maior empresa de mídia social já inventada, vem ao longo dos anos aumentando seus ramos de atuação, como a aquisição de plataformas como o Instagram e o WhatsApp, que foi comprado, em 2014, pelo valor de US$ 19 bilhões, mas que está demorando para monetizar.

Com todas as mudanças, o WhatsApp disponibilizará para pequenas e grandes empresas a opção de vender seus produtos para os clientes por meio do Facebook Shops, que foi lançado em maio deste ano.

O WhatsApp também oferecerá para as empresas que usam seus meios de mensagens o setor de computação em nuvem, que permitirá armazenar mensagens nos servidores do Facebook.

Matt Idema, o vice-presidente de operações do WhatsApp, afirmou que a nova ferramenta de compras será lançado ainda neste ano, porém o WhatsApp irá oferecer gratuitamente os serviços de hospedagem para que, desta maneira, possa ter mais clientes pagantes para as suas novas ferramentas.

"A receita hoje é pequena, em comparação com o Facebook em geral, mas achamos que a oportunidade é muito grande", afirmou Matt Idema.

Siga a página Tecnologia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!