Na segunda metade dos anos 90 e início dos anos 2000 era comum ver, todos os domingos [VIDEO], a figura do repórter esquisito Rodolfo Carlos, que junto com o saudoso Cláudio Chirinian, o ET, fazia uma irreverente parceria, primeiro no programa Ratinho Livre, da TV Record, e posteriormente nos dominicais do SBT, com maior destaque para o Domingo Legal, de Gugu Liberato.

Eles se notabilizaram por toda semana acordar famosos e no auge do sucesso até gravaram um CD. Mas como o sucesso não é para sempre, a dupla acabou se separando e seguindo caminhos diferentes. ET até conseguiu um emprego no programa do Raul Gil, na época da Record, mas em fevereiro de 2010 veio a falecer.

Rodolfo ainda seguiu trabalhando na mídia, em um programa de rádio e também em outras emissoras, porém há meses amigos e parentes não sabem do paradeiro do repórter. Um desses amigos, que preferiu se manter no anonimato, disse que seu último contato com ele foi há mais de dois meses e desde então sequer tem suas mensagens respondidas e também não consegue informação por meio de amigos comuns. No entanto ele acredita que nada de ruim tenha acontecido. “Acredito que não tenha acontecido nada porque notícia ruim corre rápido”, disse.

Receberá indenização do SBT

O “desparecimento” de Rodolfo aguçou a curiosidade de muita gente, principalmente de jornalistas especializados [VIDEO] em celebridades e famosos. Uma que foi buscar saber o paradeiro do ex-repórter do Domingo Legal foi Fabíola Reipert, que revelou que ele tem uma indenização de seis milhões de reais, fruto de um processo que moveu contra o SBT e que durou mais de sete anos.

Esse montante seria pago em dez prestações de 600 mil reais. Ele trabalhou na emissora de Silvio Santos por 12 anos e na maior parte desse período não teve carteira assinada.

Ainda de acordo com Fabíola, o sumiço de Rodolfo seria em razão de uma reforma que ele está fazendo em sua casa, no bairro Aldeia da Serra, em Barueri. De acordo com a colunista da Record, os amigos estariam reclamando da ausência dele e asseguraram que não irão pedir dinheiro emprestado.

Em uma de suas últimas entrevistas, dadas em 2016, Rodolfo afirmou que investiria parte do dinheiro no plantio de orgânicos. Em outra ocasião, ele teria revelado que precisava do dinheiro para dar uma vida melhor ao avô e ao pai e que o valor que iria receber do SBT era abaixo do que considerava justo. “Quando faço todas as contas, eu percebo: ‘Não vou ser um milionário”, brincou.