Anúncio
Anúncio

O gênio do pop Michael Jackson sempre esteve no meio de polêmicas e agora, quase uma década depois de sua morte, em 2009, ele segue sendo alvo. Desta vez, o alvoroço se dá por conta de um documentário chamado Leaving Neverland, que será exibido no festival de Sundance, que ocorre nos Estados Unidos a partir do final de janeiro deste ano.

Deixando Neverland, em tradução livre, retoma as alegações de abuso sexual [VIDEO]infantil, que à época foi um grande problema na vida do rei do pop.

O documentário vem sendo condenado por representantes de Jackson, inclusive um dos familiares disse que isso é apenas uma tentativa ultrajante de fazer mais dinheiro em cima do patrimônio do astro, uma vez que os dois homens que foram ouvidos no tal documentário, aparentemente são os mesmos que juraram diante de um tribunal que nunca haviam sido molestados por Michael, que foi absolvido em 2005 das alegações que debilitaram bastante sua saúde.

Advertisement

O julgamento demorou 14 meses e gerou bastante stress e tristeza no cantor, que morreu 4 anos após a absolvição.

O documentário

Na sinopse do documentário é expressamente escrito que trata-se da relação do cantor com dois garotos, que à época tinham 7 e 10 anos, foram abusados pelo artista e como conviveram com isso por todos esses anos. Também é informado que atualmente esses garotos são homens [VIDEO] na faixa dos 30 anos, o que levou um representante da família Jackson suspeitar tratarem-se de Wade Robson e James Safechuck, que viram a oportunidade no documentário de 233 minutos, divididos em duas partes, de ainda ganhar dinheiro de Michael Jackson, que naturalmente não está mais aqui para se defender.

Wade Robson, coreógrafo, chegou a entrar com um processo pós-morte contra o cantor, em 2013, afirmando que foi molestado por Michael, entretanto, o processo foi arquivado em 2017.

Advertisement

De acordo com a People Maganize, conceituada revista dos Estados Unidos, a família entrou com uma ação para barrar a exibição do documentário, mas o organizador do evento, Dan Reed, disse que a exibição foi uma adição de última hora, portanto só puderam anunciar nesta última quarta-feira (9). Até o presente momento, os organizadores do Festival Sundance ainda não divulgaram os nomes dos homens que se dizem molestados pelo astro quando criança.

Na época das alegações de pedofilia, muitas mídias exploraram o assunto e a revista IstoÉ e o Radar Online citam um investigador,cujo nome não foi revelado, que afirmou que o astro pop possuía “imagens chocantes de tortura de crianças”. "Os documentos recolhidos pela polícia traçam uma imagem assustadora e sombria de Michael Jackson”, acrescenta esta fonte.