As confusões no Carnaval continuam repercutindo nas redes sociais. Dessa vez, o compositor da música de sucesso "Milla", Manno Góes, acabou ofendendo e criticado o cantor Netinho, intérprete da música. A irritação de Góes é porque Netinho teria defendido Jair Bolsonaro após o presidente receber críticas da cantora Daniela Mercury.

Netinho compartilhou várias imagens pelo WhatsApp do mandatário brasileiro onde ele critica artistas que se utilizaram da Lei Rouanet para seus eventos. O compositor de "Milla" se revoltou e fez uma postagem no Facebook atacando o cantor e os eleitores de Bolsonaro.

Publicidade

De acordo com Manno Góes, a música "Milla" é amor, diversidade e liberdade e jamais estaria ligada com tortura, homofobia e xenofobia. Em uma suposta indireta a Bolsonaro, o autor cita que a música não tem nada a ver com milícia ou "laranjas". Vale ressaltar que o partido do presidente está sendo alvo de investigações por conta de supostas candidaturas laranjas.

O compositor afirmou que a música foi escrita por ele quando estava no Partido Verde (PV) e, na época, o PV era de esquerda. Manno falou que jamais a música Milla seria escrita por alguém que admira Bolsonaro.

Manno Góes afirmou que esta música é a sua maior riqueza e não representa, em hipótese nenhuma, o presidente da República. Segundo o compositor, a música não faz "arminha na mão" e simboliza dias melhores.

Críticas

Além de chamar Bolsonaro de "imbecil" em sua postagem, Manno afirmou que repudia qualquer crítica de Netinho à cantora Daniela Mercury. "Milla é Lula livre", disse ele.

Para o compositor, já não existe mais amizade entre ele e Netinho. Ele enfatizou que o baiano é conectado com um governo perverso e o chamou de "bicha burra".

Publicidade

Treta entre Bolsonaro e Daniela Mercury

Na terça-feira (5), o presidente usou seu Twitter oficial para rebater críticas de Daniela Mercury e Caetano Veloso. Recentemente, eles haviam gravado uma música afirmando que o governo iria censurar o Carnaval.

Bolsonaro respondeu às críticas postando uma marchinha de Carnaval onde o cantor, que não foi identificado, dava indiretas para os artistas.

Na legenda, Bolsonaro disse que tem dois cantores que não mais se beneficiarão da Lei Rouanet. Segundo o mandatário brasileiro, o governo não vai acabar com o Carnaval e sim com a farra da Lei Rouanet, que leva embora dinheiro público.

A cantora respondeu afirmando que a lei não havia sido muito bem compreendida pelo presidente. De acordo com Daniela Mercury, ela chegou a usar um pouco de verba pública de impostos da Lei Rouanet, mas tudo estava legalizado e foi autorizado.