Na noite do último domingo (23), a modelo Najila Trindade concedeu entrevista ao programa "Câmera Record", exibido pela Record TV. Najila, que registrou um boletim de ocorrência contra o jogador Neymar sob a acusação de estupro no mês de maio, falou sobre como a família estaria reagindo à polêmica, a modelo também afirmou que estaria sendo vítima de xingamentos nas ruas. Sobre a localização de um tablet que teria as imagens completas do suposto abuso que teria sofrido na capital francesa, a modelo evitou falar sobre o assunto, além de se esquivar de perguntas específicas em relação ao caso.

Modelo teria procurado a emissora

De acordo com o site O Dia, Najila Trindade teria tomado a iniciativa de procurar a produção da Record TV para conceder entrevista e realizar um desabafo, diferentemente das entrevistas dadas em outras oportunidades, as quais a modelo teria sido procurada. Najila falou ao programa sobre como estaria sendo a reação das pessoas em relação a ela após a repercussão do caso. A jovem afirmou que estaria sendo julgada e chamada de irresponsável, porém, se defendeu ressaltando que sempre teria cuidado de suas obrigações, inclusive em relação a seu filho, que segundo a mesma, sempre teria cuidado bem, independente de sua situação financeira. Trindade também falou sobre as ofensas que vem recebendo nas ruas: "as pessoas me xingam e cada um tem uma versão.

Parece até que elas que viveram isso", comentou.

O programa "Câmera Record" convidou psicólogos para que analisassem o comportamento de Najila durante a entrevista, a fim de analisarem suas falas. Os profissionais apontaram que a jovem estaria passando por um momento de sofrimento, e que precisaria de apoio psiquiátrico.

Questionada sobre os pronunciamentos do ex-marido, a modelo não quis comentar. Quanto ao filho, Najila afirmou que o mesmo estaria traumatizado após o ocorrido e se recusando a voltar para São Paulo.

Quanto a localização do tablet

À época que realizou a denúncia de estupro contra Neymar, Najila havia mencionado a existência de um tablet onde supostamente existiria um vídeo completo do abuso sofrido, segundo a mesma.

Quando questionada sobre o aparelho, que até o momento não foi apresentado à Polícia, a modelo se esquivou do assunto. "Eles estão procurando não sei o quê", disse a modelo se referindo aos investigadores.

Durante as perguntas realizadas sobre as provas existentes contra o atacante, Najila falou a todo momento que não poderia falar sobre o assunto. A jovem afirmou que está passando por problemas psicológicos desde que tudo ocorreu. As investigações sobre o caso seguem na 6ª Delegacia de Defesa da Mulher, na zona sul da capital paulista.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Televisão
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!