Marília Mendonça esteve em Belo Horizonte com seu projeto "Todos os Cantos", na qual ela grava uma música inédita por cada capital que passa e promove um show aberto ao público para o lançamento da música.

O que era para ser uma noite de alegria e muita música virou um pesadelo. Tudo aconteceu na noite da última segunda-feira (7). O show de Marília Mendonça já estava acabando quando começou uma confusão em frente ao palco e as pessoas começaram a ir embora correndo.

De acordo com o jornal O Tempo, a Polícia Militar mineira responsabilizou a equipe de Marília Mendonça pela confusão, furtos e agressões.

Marília Mendonça lamenta ocorrido

A equipe de Marília Mendonça emitiu uma nota oficial na qual diz que a cantora lamenta profundamente o que aconteceu em seu show.

Ainda diz que a intenção do show gratuito é retribuir aos fãs o carinho que ela recebe. A nota termina reforçando que esse tipo de situação está cada vez mais comum em eventos pagos e gratuitos.

Polícia culpa equipe de Marília

O major da corporação, Flávio Santiago, alegou que os organizadores do show gratuito de Marília Mendonça não contaram que quem iria se apresentar era ela e subestimaram o público.

Como as informações devidas não foram passadas, e como não teve tempo de preparar a segurança do show, o policiamento foi insuficiente para atender a demanda de 50 mil pessoas que participaram do evento.

Como a segurança não foi suficiente, a praça que foi palco do show da Rainha da Sofrência também virou cenário para lesões corporais, tráfico de drogas e furtos.

Como se não fosse o suficiente, duas pessoas foram esfaqueadas, uma antes do show, em uma briga, e outra depois, em uma tentativa de roubo.

Dos 14 presos, cinco teriam relação com os arrastões.

A Polícia afirmou que irá levar o caso ao Ministério Público para que sejam adotadas as medidas legais cabíveis à situação. O major Flávio Santiago ainda disse que com a segurança das pessoas não se brinca.

Pedido para fazer show foi negado na primeira vez

De acordo com informações do site Hoje em Dia, o major Flávio esclareceu que no dia 3 de outubro a equipe de Marília Mendonça teria mandado o pedido para usar a praça da cidade para a gravação de um documentário.

Ainda segundo informações do site, segundo o Major, nunca foi esclarecido que seria um show da cantora Marília Mendonça. No primeiro documento a equipe disse que seria para uma média de 20 mil pessoas. O pedido foi negado, já que a praça comporta apenas 15 mil pessoas. Então, a equipe protocolou um novo pedido onde adequou o número de pessoas à capacidade da praça. O pedido então foi aceito. A autorização foi concedida sem o conhecimento de que a cantora era quem ia se apresentar.

Santiago contou que a Polícia Militar só ficou sabendo que era Marília Mendonça pelas redes sociais, só depois disso é que a equipe de organização do show admitiu que o evento era uma surpresa para os fãs.

Depois do desastre que aconteceu no show da Rainha da Sofrência, a Polícia Militar de Belo Horizonte disse que as regras para concessão de espaços públicos para eventos serão ainda mais rigorosas, para evitar que aconteça de novo. Antes, o prazo para pedir autorização era de dois dias antes do evento, agora será de dez dias.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Mulher
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!