De acordo com alguns moradores de Paraisópolis ouvidos pelo portal G1, os nove mortos e doze feridos durante a operação policial em um baile funk estavam em vielas do bairro citado.

A ação policial aconteceu durante a madrugada do último domingo (1º) e os frequentadores do evento foram agredidos pela Polícia Militar na Viela do Louro e na Viela Três Corações, de acordo com os moradores entrevistados.

Inicialmente, a Polícia Civil, que conduz as investigações acerca do caso, suspeitava de que os mortos tivessem sido pisoteados durante a confusão iniciada após os disparos efetuados pela PM.

Contudo, os atestados de óbito das vítimas de Paraisópolis apontam para mortes causadas por asfixia e revelam que alguns dos mortos tiveram fraturas na coluna.

Apesar de as informações levarem a investigação para outro rumo, a Polícia Civil somente terá certeza a respeito das causas das mortes quando os laudos oficiais estiverem concluídos.

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) de São Paulo foi procurada pelo G1 para comentar a respeito das informações fornecidas pelos moradores de Paraisópolis, assim como para informar sobre onde os corpos das vítimas foram encontrados. Entretanto, a Secretaria se mostrou incapaz de responder essa pergunta.

Através de uma nota, a SSP informou que somente o Departamento Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e a Corregedoria da Polícia Militar estão conduzindo investigações sobre os fatos ocorridos em Paraisópolis.

Segundo o boletim de ocorrência referente ao caso, os PMs destacaram que os nove mortos na operação policial foram encontrados em uma mesma viela, mas não destacaram o nome da rua.

Versão dos moradores de Paraisópolis

Apesar da versão do boletim de ocorrência, os moradores de Paraisópolis entrevistados pelo G1 destacaram que alguns vídeos gravados durante o último domingo, todos feitos por moradores da comunidade, mostram que os policias chegaram a encurralar as pessoas para agredi-las.

Os moradores ainda indicaram que essa ação foi realizada em duas vielas, conforme o apontado. As duas são paralelas, mas não possuem qualquer tipo de conexão.

As duas vielas citadas pelos moradores dão acesso às ruas Rudolf Lutze e Ernest Renan. Sobre a Viela Três Corações, ela possui dois portões de entrada, um em cada extremidade.

Entretanto, durante o período noturno, o portão que garante acesso à rua Rudolf Lutz estava fechado.

Uma moradora de Paraisópolis informou que as duas entradas da rua foram fechadas e posteriormente os policiais subiram pela viela. A partir disso, os frequentadores do baile funk se sentiram acuados e a Polícia Militar começou a jogar bombas.

A moradora preferiu ter a sua identidade preservada. Ela também relatou que chegou a ouvir gritos e que somente quem mora em Paraisópolis possui acesso à chave dos portões da viela citada.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!