Imagens de câmeras de segurança próximas ao local onde aconteceu a ação da Polícia Militar em Paraisópolis, no último domingo (1°), registraram o momento em que os policiais chegaram ao local e iniciaram sua ação.

As imagens, divulgadas com exclusividade pela TV Globo, mostram os PMs chegando ao local durante o Baile da 17, que acontecia na comunidade como de costume. Nove pessoas acabaram mortas durante a ação por pisoteamento, enquanto outras 12 pessoas ficaram feridas.

Imagens mostram tumulto

Por volta das 3h45, algumas pessoas que estavam na rua próxima ao local do baile, e estavam de motocicletas, seguiam ao lado esquerdo do vídeo, e, em determinado momento, pararam e começaram a retornar de onde partiram.

Logo em seguida, passam cinco motos da PM no local. Logo depois, por volta das 3h49, passa uma viatura da PM em alta velocidade, mas no sentido oposto que as motocicletas foram.

Logo depois, pessoas aparecem no vídeo se assustando com alguma coisa que aconteceu no local e começam a correr. Em seguida, uma outra viatura da PM passa em alta velocidade. O carro da política aparece parado no local, com um policial ao lado, que, em seguida, joga uma bomba de efeito moral, que explode no meio da rua.

Depois disso, o mesmo policial joga uma segunda bomba, mas desta vez a joga em uma distância ainda maior que a primeira.

A viatura, em seguida, entra pela rua mencionada.

A Secretaria de Segurança Pública afirmou, através de uma nota oficial, que todos os vídeos e imagens que estão sendo obtidos desta ação que aconteceu em Paraisópolis agora estão sendo anexados ao inquérito que foi aberto.

O caso agora está sendo conduzido pela Corregedoria da Polícia Militar, que está apurando tudo o que aconteceu durante a ação. Também foi informado que o DHPP instaurou um inquérito referente à ação, e que agora também serão chamadas as vítimas e testemunhas do acontecimento para poderem prestar depoimentos sobre o caso.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Polícia

Foi informado também que o procurador-geral da Justiça já nomeou uma promotora do júri para que sejam apuradas as causas das mortes das vítimas fatais da ação.

Isso porque o atestado de óbito de umas das vítimas aponta que a jovem morreu devido a uma asfixia mecânica por sufocação indireta. Além disso, o de outra vítima aponta que o jovem morreu devido a um trauma raquimedular, com agente contundente, o que pode ser traduzido como uma lesão na coluna que foi causada pela influência de um objeto externo.

Também foi instaurado pela Corregedoria da Polícia Militar um inquérito que vai analisar a conduta dos policiais que estavam participando da ação. Também serão usadas as gravações que foram feitas pelos moradores de Paraisópolis envolvendo possíveis abusos e excessos cometidos pelos policiais.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo