Uma entrevista exibida no último domingo (1º) pelo "Fantástico", da Rede Globo, foi bastante comentada na web. Drauzio Varella fez uma emocionante matéria sobre a vida de mulheres transexuais no cárcere, contando suas histórias e todas as dificuldades enfrentadas na prisão, bem como preconceito, violência física e psicológica e isolamento social. De acordo com o site G1, uma história em especial chamou a atenção dos telespectadores, uma detenta trans chamada Suzy Oliveira afirmou que estaria há cerca de 8 anos sem receber visitas na prisão.

Drauzio Varella se emocionou com a triste história e deu um caloroso abraço em Suzy.

A atitude do médico foi amplamente elogiada nas redes sociais. Internautas exaltaram a humanidade e empatia de Drauzio. Após a publicação da matéria, uma polêmica foi levantada acerca dos crimes cometidos por Suzy. Segundo o site Metrópoles, a detenta teria assassinado e abusado de uma criança. Neste domingo (8), Drauzio Varella se manifestou através das redes sociais.

Drauzio presta esclarecimentos

De acordo com o site Metrópoles, Drauzio Varella usou seu perfil oficial no Instagram para fazer um esclarecimento sobre a reportagem produzida e veiculada pelo "Fantástico" no último domingo (1º). O médico afirmou que há 30 anos atende detentos e detentas em presídios, e que independentemente do local em que realizava atendimentos, jamais procurava saber o que seus pacientes faziam de errado em suas vidas, até mesmo para que seu julgamento pessoal não o impedisse de cumprir o juramento feito ao se tornar médico.

Drauzio ainda esclareceu que seguia sempre os mesmos princípios, mesmo quando realizava trabalhos na Televisão, e que assim aconteceu durante a matéria exibida pelo "Fantástico" no último domingo (1°). O médico afirmou que não teria perguntado sobre os delitos que as detentas entrevistadas por ele teriam cometido. Drauzio foi enfático: "sou médico, não juiz".

Após a exibição da matéria, o assunto chegou a ser um dos mais comentados no cenário nacional, chegando a estar nos trending topics do Twitter.

Cartas recebidas por Suzy

Segundo o jornal Folha de S.Paulo, após a exibição da matéria no último domingo (1º), muitas pessoas se mobilizaram e se sentiram tocadas com a história de Suzy Oliveira. A Secretaria de Administração Penitenciária (SAP), revelou que a detenta havia recebido cerca de 234 cartas após a reportagem, além de outros presentes como chocolate, livros, canetas e duas bíblias.

A SAP ainda afirmou que Suzy receberia 75% do salário pago pela empresa para qual prestava serviços, e que os materiais para higiene íntima eram fornecidos pela própria penitenciária.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Televisão
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!