Após sair do "BBB20" em uma votação histórica e polarizada, o arquiteto paulista Felipe Prior, de 27 anos, agora necessita se resolver com a Justiça. De acordo com as informações passadas pela revista Marie Claire, duas mulheres acusaram o rapaz de ter abusado delas e outra de ele ter tentado realizar o ato. Os crimes teriam ocorrido entre os anos de 2014 e 2018. Após toda a repercussão, o site da revista Veja decidiu procurar a advogada Maira Pinheiro, responsável por representar as três vítimas.

De acordo com a profissional, as peças do quebra cabeça começaram a se juntar após um tuíte. Ao se deparar com Felipe Prior sendo o grande escolhido para participar do reality da Rede Globo, uma ex-colega da universidade em que o rapaz se formou postou que o mesmo recebia uma fama de assediador em tempos de faculdade.

Após, uma das vítimas decidiu mandar uma mensagem para a autora do tuíte, afirmando que havia sofrido com os assédios de Felipe Prior e afirmando que toparia realizar uma denúncia, caso encontrasse mais vítimas da abuso. Mais vítimas então apareceram após a repercussão.

Ainda de acordo com Maira Pinheiro, o tuíte foi deletado devido à assessoria de Felipe Prior mandar mensagens ameaçando a autora. Sabendo do caso, e longe das redes sociais, as meninas se juntaram para realizar um boletim de ocorrência no Provimento 32, dizendo que queriam preservar a privacidade das vítimas e não revelando a identidade das mesmas.

Colega de Prior é procurado

A Veja então procurou um ex-colega de classe de Felipe Prior para perguntar sobre o comportamento do rapaz na sala de aula.

O colega de classe afirmou que o rapaz era “causador”, realizando de forma rotineira brincadeiras duvidosas. Ele ainda ressaltou que, na época de faculdade, Prior não tinha namorada e não carregava uma fama de galã.

De acordo com ele, Prior tinha o hábito de dar selinhos em um de seus amigos para tirar sarro quando se encontrava nos bares da rua Maria Antônia, localizado próximo ao Mackenzie.

Quando tinha festas da faculdade, o arquiteto costumava beber bastante.

Vale lembrar que, nos relatos de uma das vítimas, é exposto que o rapaz estava alcoolizado quando cometeu a suposta violação no banco de trás de seu carro.

De acordo com as informações expostas pela revista Marie Claire, a menina, após o abuso, necessitou ir até o hospital.

Um documento atenta que foi realizado um corte de três dedos de comprimento na região genital, sendo profundo o bastante para chegar até o músculo. O documento, no momento, já foi entregue para a Polícia.

Agora, a emissora Globo realiza análises sobre os antecedentes de Felipe Prior, que foi candidato para participar do "BBB20". Os boletins do rapaz foram lavrados semanas atrás, enquanto o mesmo ainda estava dentro do reality show.

Felipe Prior foi procurado pelo revista Veja, no entanto, não retornou à reportagem.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Fofocas
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!