O empresário Paulo Cupertino Matias, suspeito de matar a tiros o ator Rafael Miguel e os pais do jovem, contou com a ajuda de dois amigos para conseguir fugir após o crime.

Uma conversa, que foi recuperada através da perícia que investiga o caso, revelou algo que seria um pedido de ajuda feito por ele a um amigo, que é morador da cidade de Sorocaba, no interior de São Paulo.

Suspeito segue foragido

Paulo Cupertino está foragido desde o dia 9 de junho de 2019. Ele foi é apontado como o responsável por ter matado o ator e seus pais. A motivação para o crime teria sido o fato de Cupertino não aceitar o namoro entre a filha, Isabela Tibcherani Matias, e Rafael Miguel.

Além da jovem, que estava no local no momento em que tudo aconteceu, quem também presenciou o crime foi a mãe da jovem, Vanessa Tibcherani de Camargo.

Em sua carreira, Rafael viveu o personagem Paçoca na novela “Chiquititas” e também ficou conhecido após ter participado de um comercial, que lhe deu grande notoriedade ainda na infância, no qual aparecia pedindo para comer brócolis.

Além disso, Rafael também esteve presente no elenco de outras novelas, como “Pé na Jaca”, “Cama de Gato” e também o especial de final de ano que foi ao ar na Rede Globo “O Natal do menino Imperador”.

Segundo a Polícia, Cupertino atirou 13 vezes contra o ator e seus pais. As três vítimas do crime estavam desarmadas no momento que foram surpreendidas pelo empresário e não tiveram nem mesmo tempo para poder reagir diante da situação toda, que foi presenciada pela filha.

De acordo com o que foi apurado pelo site de notícias G1, os dois amigos de Cupertino, um morador da capital e outro de Sorocaba, foram responsáveis por ajudar com que ele conseguisse fugir após os assassinatos.

Os amigos do empresário o ajudaram com dinheiro, transporte e até mesmo comida. De acordo com o que foi apurado, os três mantinham uma amizade de 15 anos.

O celular em questão que passou por perícia foi o do amigo morador da capital. Ele foi levado para que fosse parte da investigação do crime. De acordo com o que foi obtido pelos peritos, que conseguiram recuperar a troca de mensagens que aconteceu entre Paulo, um interlocutor (apontado como o morador de Sorocaba) e também o amigo da capital.

A troca de mensagens em questão aconteceu no dia seguinte em que o crime foi executado.

Além disso, a perícia conseguiu retirar do aparelho em questão um comprovante de um depósito que foi feito em nome do amigo do interior de São Paulo, no valor de R$ 5 mil. O valor aparece sendo pedido pelo homem através das trocas de mensagens que foram recuperadas pela perícia agora.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!