Flordelis, que até o ano de 2019 somente aparecia na mídia pelos louvores e pregações que fazia, passou a ter seu nome amplamente divulgado nos noticiários após a morte do marido Anderson do Carmo. O pastor foi assassinado na casa da família em junho de 2019 e desde então, a deputada e sua família estão na mira da Polícia até como suspeitos de envolvimento no crime.

Flordelis é investigada por adoções de menores

Desde que ocorreu a morte do pastor Anderson, a vida íntima e familiar da família veio à tona e a polícia passou a investigar os casos de acolhimento e adoções ocorridas pela deputada e seu marido.

A famosa, que era mãe de 55 filhos, está tendo que esclarecer às autoridades possíveis irregularidades nos processos de adoções de alguns desses adolescentes.

Os investigadores analisam três casos, sendo que dois ocorreram há mais de 20 anos, nos quais a deputada não solicitou na Justiça o processo de adoção e regularização da situação dos até então menores de idade. Os pais de uma adolescente contaram aos policiais que nunca deram autorização para que a filha fosse morar com a deputada e afirmaram que a menina tinha desaparecido.

Adolescente acolhida por Flordelis sem permissão

O inquérito sobre o caso da adolescente, de 17 anos, foi aberto na DPCA de Niterói, no Rio de Janeiro, em outubro de 2019, após denúncia de que a pastora mantinha há 8 anos em sua casa a jovem sem nunca ter entrado com o pedido de guarda na Justiça ou com pedido de adoção.

As autoridades tentam descobrir como a menina chegou até a família e casa da deputada Flordelis. Segundo as investigações, a menina chegou a passar por pelo menos três mãos depois que saiu da casa da família biológica até chegar na casa da família de Flordelis.

Os pais da adolescente já prestaram dois depoimentos, nos meses de fevereiro e março de 2020, e disseram que a filha desapareceu depois que foi brincar na casa de uma mulher, amiga do avô paterno da criança.

Segundo a mãe da menina, ela foi buscar a filha um tempo depois como tinha sido combinado, mas quando chegou no local, não encontrou a sua filha, nem a mulher. Os genitores da jovem não revelaram o nome dessa mulher que estava com a menina quando ela teria sumido, mas as investigações mostram que não era a deputada Flordelis.

A mulher contou que procurou a filha com o avô, mas não encontrou e um tempo depois, o homem faleceu. O pai da menina disse que não permitiu que a filha fosse para a casa da pastora e não autoriza a sua adoção. A mãe falou que nunca deu a filha para ninguém.

Filho de Flordelis levou menina para casa

As autoridades já sabem que a menina foi levada para a casa de Flordelis por André Luiz de Oliveira, outro filho adotado da deputada. Ele contou à polícia que pegou a menina com Carlos Knust e sua esposa Claudia, ele é gerente da gravadora de Flordelis, situação confirmada pelo casal à polícia.

A deputada Flordelis foi questionada sobre a situação irregular da adolescente em sua casa, por mais de 8 anos e a princípio insistiu em dizer que tinha pedido a guarda da menina.

Após ser confrontada de que não havia nenhum pedido de adoção para a adolescente, ela falou que havia se confundido.

A famosa disse que no ano de 2014 entrou com os papéis no conselho tutelar para que a mesma pudesse estudar e achou que fosse o pedido de guarda da adolescente. A famosa disse que se confundiu, pois na ocasião ocorreram muitos processos de adoção. A menina voltou a morar com a família biológica após a repercussão do caso.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!