Um fato lamentável ocorreu na cidade de Manaus, capital do estado do Amazonas. Um pastor de uma igreja evangélica está sendo acusado de violentar crianças e adolescentes durante estudos da bíblia na instituição religiosa que ele preside. O líder religioso de 43 anos foi preso pela Polícia na manhã desta sexta-feira (3), pelos crimes que ocorreram no ano de 2019.

Entre as vítimas estão duas meninas de 9 e 13 anos. Num total, já são oito casos confirmados pelo crime de violentar ou importunar sexualmente essas crianças, e ainda existem mais casos que estão sendo investigados pela Polícia Civil do estado.

Os supostos crimes do pastor

O pastor em questão presidia uma igreja evangélica localizada no bairro Cidade de Deus, na Zona Norte da capital amazonense. Todas as adolescentes e crianças que se dizem vítimas dele, frequentavam a igreja onde o pastor atuava. De acordo com a DEPCA (Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente) esse mesmo líder religioso já foi condenado anteriormente por crime de violentar vulneráveis.

Os crimes atuais dos quais ele é acusado tiveram investigação iniciada no mês de maio deste ano. A denúncia que deflagrou a ação da polícia partiu de uma criança de 9 anos que, no ano de 2019, alegou ter sido vítima do pastor dentro de sua própria casa.

Relato da criança de apenas 9 anos

De acordo com relatos da família, a mãe precisou ir ao mercado e deixou a menina sozinha por alguns minutos em casa. Com isso, o pastor chegou à residência em questão e pediu à criança se podia entrar. Como a vítima julgou que ele não oferecia riscos, permitiu a entrada do religioso.

A delegada responsável pelo caso, Joyce Coelho, disse que no Boletim de Ocorrência constam relatos de atos libidinosos cometidos após o pastor adentrar na casa, onde ocorreu o ato criminoso. No B.O. ainda está registrado que o crime ocorreu em 2019, porém só em 2020 a criança falou sobre o caso com o pai.

Outra denúncia

Após a denúncia desta criança de 9 anos, outra vítima tomou coragem e também resolveu denunciar. Desta vez foi uma menina de 13 anos que disse que o pastor a convidou para fazer estudos bíblicos em sua casa. Segundo a polícia, a criança era amiga da filha do pastor e as duas sempre estudavam a bíblia juntas.

Porém, quando ele tinha uma chance de ficar sozinho com a menina, praticava o ato criminoso. A própria mãe da criança abusada revelou aos policiais que ele já tinha esse histórico. A partir daí a Polícia Civil descobriu que ele já foi condenado a 15 anos de prisão pelo mesmo crime.

Vídeo de despedida do pastor

O religioso negou todas as acusações e gravou um vídeo para se despedir dos frequentadores de sua igreja, onde pediu perdão por erros que cometeu em tempos passados.

No entanto, ao ver o vídeo gravado pelo pastor e postado em sua rede social, os policiais entenderam que poderia haver um risco de fuga, então solicitaram o pedido de prisão imediato do acusado.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!