Sikêra Jr. usou o hit “Verdinha”, de Ludmilla, para ironizar a operação Muçambê, realizada nos últimos meses pela Polícia Federal em Pernambuco. Até o momento, a operação já resultou em mais de 50 mil pés de maconha incinerados, quantia equivalente a cerca de 180 toneladas. O comentário que repercutiu nas redes sociais foi feito pelo jornalista na edição da última segunda-feira (13) do “Alerta Nacional”, da RedeTV!.

Depois que o repórter Ricardo Neves passou detalhes sobre o caso, Sikêra logo associou a notícia com uma das músicas mais polêmicas de Ludmilla. O apresentador pediu atenção para os internautas afirmando que eles haviam acabado de descobrir que um helicóptero havia pousado “no quintal da Ludmilla”.

Segundo o comandante do telejornal, a plantação da droga foi descoberta através do GPS. “É o quintal da Ludmilla”, brincou Sikêra Jr, enquanto eram exibidas no telão do estúdio algumas imagens da operação da PF.

E mais, além de assemelhar a plantação de cannabis sativa com o quintal da cantora, Sikêra Jr. ainda questionou: “quem diria hein, a R$ 1?”. Em um trecho de “Verdinha”, composta por Ludmilla, a música diz: “tô vendendo a grama da verdinha a R$1”. Além disso, ao final da edição do programa, o jornalista ainda cantou o "Reggae da Maconha", música utilizada frequentemente pelo apresentador após ele noticiar casos relacionados à droga ilícita.

Após o comentário polêmico de Sikêra Jr., Ludmilla chegou a ser procurada pelo portal Notícias da TV, porém, até o momento deste publicado a cantora ainda não havia retornado o contato.

'Verdinha'

A canção “Verdinha” foi lançada por Ludmilla em novembro de 2019 e logo causou polêmica devido a sua letra. No trecho do hit, a funkeira canta: “eu fiz um pé lá no meu quintal, tô vendendo a grama da verdinha a R$ 1”. Após o lançamento da canção polêmica, os mais conservadores acabaram gerando ameaças a uma marca de cosméticos.

Na ocasião, Brunna Gonçalves, esposa e dançarina de Lud, era a garota-propaganda da empresa.

Polêmica da música envolveu Fátima Bernardes

Além das ameaças de boicotes que a empresa de cosméticos sofreu, Fátima Bernardes também acabou tendo seu nome envolvido na polêmica de “Verdinha”. No dia 23 de dezembro de 2019, a apresentadora recebeu Ludmilla em seu programa na Rede Globo, o “Encontro”, onde a funkeira cantou seu hit, na ocasião, recém-lançado.

Depois disso, o deputado federal Otoni de Paula, do PSC-RJ, decidiu protocolar um notícia-crime contra a apresentadora global. Para isso, o aliado do presidente Jair Bolsonaro afirmou que Bernardes utilizou seu espaço em rede nacional para fazer apologia ao uso de drogas ilícitas. Após a repercussão do conteúdo, o Ministério da Justiça decidiu classificar o programa da global como sendo não recomendado para menores de 10 anos.

Siga a página Televisão
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!