Uma casa de oração da Congregação Cristã no Brasil (CCB), do bairro Jardim Tropical, na cidade de Arapiraca, no interior do Estado de Alagoas, sofreu uma invasão de criminosos no último domingo, dia 10. Objetos que estavam no interior do templo foram alvo de depredação, tendo sido quebrados pelos vândalos. Dentre os objetos quebrados pelos delinquentes, estava a caixa de coletas e ofertas, onde os fiéis depositam, nos dias de cultos, a contribuição voluntária e anônima em envelopes com dinheiro em espécie.

O Centro de Operações da Polícia Militar (COPOM) acionou militares da Radiopatrulha (RP) para verificar o ocorrido no templo da Congregação, segundo o 3º Batalhão.

Publicidade
Publicidade

Apesar do susto e das perdas identificadas, os criminosos não conseguiram levar nenhum montante ou objeto de valor durante a investida. O corpo ministerial, que responde em nome da Congregação Cristã no Brasil da localidade, foi orientado a prestar queixa junto à Central de Polícia e registrar um Boletim de Ocorrências.

Nas redes sociais, a repercussão do caso foi grande dentre os fiéis da referida denominação evangélica, que possui, em todo o território nacional, mais de 2,2 milhões de fiéis, espalhados por todos os Estados brasileiros. Uma fiel declarou: "Eles [os bandidos] veem uma #Igreja linda e entram para buscar bens, enquanto lá dentro o bem mais precioso que buscamos é a Palavra de Deus, porque ali não há riqueza material, mas sim espiritual."

Precavendo-se, a Congregação vale-se de medidas preventivas para não manter os frutos da arrecadação dos fiéis dentro dos templos, transferindo os montantes para um local seguro.

Publicidade

Na CCB não existe a prática do dízimo, ficando os fiéis desobrigados de comprometerem dez por cento de sua renda para a manutenção da instituição, bem como também não remunera os ocupantes de cargos e ministérios. As doações são voluntárias, anônimas e desobrigatórias.

Casos semelhantes

Em março de 2009, um templo da Congregação também foi invadido e alvo de vandalismo em Maringá, no Estado do Paraná. Dentre os prejuízos, na ocasião foram quebradas estantes musicais, bancos foram revirados, o órgão foi tombado, cadeiras jogadas no chão, e a tribuna jogada dentro do tanque batismal repleto de água. 

Em julho de 2014, uma igreja da Congregação foi invadida em Itamarandiba/MG e sofreu um prejuízo de R$ 4.000,00 em roubo de dinheiro armazenado dentro dos cofres da igreja.