Foi há muito tempo, quando fortalezas ainda eram construídas, tendo o mar como vista para proteger a costa. O farol da ilha também é um ponto turístico. Acredite! Quem mandou construir foi Dom Pedro II. Antigo, né?

A praia de Nova Brasília, ou simplesmente Brasília na Ilha do Mel, no litoral do Paraná, esconde verdadeiros tesouros. Mas esses até sem mapa você encontra.

Dom Pedro e o Farol das Conchas

Ponto ideal para a construção de um Farol: o Morro das Conchas. A construção iniciou-se em 1870, mas desde o dia 1 de abril de 1872 que ele orienta os navegadores. Sim! Até hoje aquela luz em cima do morro mostra a direção correta.

Publicidade
Publicidade

Pode ser visto de diferentes pontos da praia. São 18 metros de ferro fundido vindo de Glasgow, na Escócia. Você está caminhando e lá está ele olhando pra você. São muitos degraus para chegar lá em cima, quase 150, dentre rampas e a #Natureza. Você se sente um desbravador. Em certos pontos, você chega a ter três praias debaixo dos seus olhos. As pessoas viram pontinhos, e torna-se impossível não querer chegar perto dele para ter aquela foto de recordação.

Infelizmente a parte interna do Farol não está aberta para visitação, mas só o fato de chegar perto dele faz você pensar: "Valeu, Dom Pedro!".

Fortaleza da barra

No mesmo dia que fizer a visita no Farol das Conchas, se tiver disposição, conheça também a Fortaleza Nossa Senhora do Prazeres de Paranaguá. O nome é bem comprido, então você tem a opção de chamá-la de Fortaleza da Barra.

Publicidade

Uma boa caminhada saindo da praia do Farol e passando pela praia grande, te levarão até esse lugar que faz jus ao nome! Uma fortaleza!

Essa fortaleza começou a ser erguida em 1767 por ordem do Marquês de Pombal, o então regente de Portugal. A sua principal função seria defender a cidade de Paranaguá de invasores. Mas toda essa história você encontra em uma biblioteca que foi montada dentro do forte.

A Fortaleza de Nossa Senhora dos Prazeres foi tombada como patrimônio nacional em 1938 e como patrimônio estadual em 1972. Foi desativada em 1954, e o que ficou de militar foi só a arquitetura. Nesse mesmo ano, passou a ser administrada pelo IPHAN, que deu início a várias etapas de restauração e conservação.

Apesar de toda a beleza arquitetônica e histórica, o que domina a visão de quem visita o forte é a natureza. A vista da praia que se tem de cima do muro da fortaleza, a natureza do morro da baleia - sobre o qual a fortaleza foi construída - e as pedras que protegem a entrada do forte são dignos de cartão postal. #Turismo