Alguns líderes políticos do governo do presidente da República, #Michel Temer, estão passando por dificuldades, como, por exemplo, invasão de privacidade, que é o caso de Rodrigo Maia do partido DEM/RJ e presidente da Câmara dos Deputados em Brasília, cujo número do celular foi revelado em grupos de WhatsApp e redes sociais diversas, com o único intuito de que o político carioca pudesse ser forçado a tomar uma posição antagônica contra o perdão ou anistia da prática adotada de caixa 2.

Por outro lado, a assessoria de imprensa ligada a Rodrigo Maia explicou que o mesmo não está pensando em alterar o número do telefone agora que é de conhecimento público, mesmo com dezenas e mais dezenas de mensagens que foram escritas e recebidas no transcurso do dia.

Publicidade
Publicidade

A assessoria fez questão de dizer ainda que o próprio Rodrigo, teceu algumas respostas em relação às perguntas da população eleitora. Será mesmo?

Maia quando formulou as mensagens respondendo, quis preconizar que a Câmara presidida por ele, em hipótese alguma, aprovará a tão criticada anistia ao caixa 2, e que o único objetivo de quem disseminou a boataria foi o de macular a imagem dos políticos brasileiros que estão no poder, mas daí alguém poderia replicar de que tais parlamentares não precisam de ajuda externa para isso, porque eles mesmos se superam nos escândalos, maracutaias e trambiques contra a nação, como bem comprovam as manchetes diárias na mídia nacional e fora do país.

A mulher que não teve a identidade revelada e que liberou o número do celular de Rodrigo na internet, ainda se deu ao trabalho de aconselhar que a população de modo geral procurasse não “mandar o cara para tudo que é lugar”, a fim de que Maia não trocasse o número do telefone como fez o governador do judiado Estado do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, afiliado ao PMDB e cujo número do celular foi divulgado do mesmo modo.

Publicidade

Essa guerra de nervos é causada pela chance dos parlamentares federais homologarem a anistia ao caixa 2 em paralelo ao pacote de medidas que visa combater a #Corrupção no país, no próximo dia 29 de novembro. Tanto é assim, que muitos internautas externaram a sua revolta nas redes sociais e no último dia 24 de novembro, quinta-feira, a hashtag #anistiacaixa2nao foi o tema que encabeçou os posts mais comentados no Twitter brasileiro.

Até mesmo um site foi feito com o propósito de que os cidadãos enviem e-mails exigindo e cobrando dos deputados, que esses se posicionem contra a anistia. Ao todo são mencionados 25 deputados, grande parte deles pertencente à base de aliados que apóia o ex-presidente interino Michel Temer. Alguns desses nomes são: o líder do PMDB, Baleia Rossi; do PSD, Rogério Rosso; do PSDB, Antonio Imbassahy e do PTB, Jovair Arantes.

Vale frisar de os idealizadores da home-page se pronunciaram dizendo que os deputados federais intencionam aprovar a medida porque os políticos estão “assustados com a mega delação da Odebrecht” na sua totalidade. #Odebrecht