Sempre quis conhecer um país europeu. Minha primeira #Viagem para a Europa aconteceu então no dia 29 de dezembro de 2013, quando fui passar o Reveillon na casa de um amigo dinamarquês. Mas para chegar até o meu destino, Hjørring , Dinamarca; o caminho foi longo. Saí da minha cidade no dia 28 à noite rumo a São Paulo (era o único ônibus que chegaria na capital paulista antes do meu voo). Deixei São Paulo no dia 29 à tarde, depois de passar um dia no aeroporto, rumo a Frankfurt, Alemanha (sempre quis conhecer a Alemanha, mas só conheci o aeroporto).

Já tinha usado meu inglês (tenho muito orgulho de repetir que sou autodidata), em uma viagem para Argentina e Uruguai (porque meu espanhol é péssimo), mas dessa vez foi diferente, foi a primeira vez que eu só falei em inglês por 15 dias.

De Frankfurt voei para Copenhagen e de lá peguei o trem para Hjørring (entrei no trem com um casal marroquino e nós nem tínhamos certeza se era o trem certo... Faz parte). Cinco horas de trem e cheguei ao meu destino no dia 30 à noite.

Curiosidades da Dinamarca

  • Uma coisa que não me acostumei de maneira nenhuma foi sair e deixar a porta destrancada, tranquei todas as vezes e meu amigo ria de mim.
  • Eles sempre acendem umas velas pra deixar o ambiente aconchegante. Eles têm estoques delas e fica muito agradável jantar à luz de velas e conversar com amigos.
  • No supermercado, você leva sua bolsa ou volta pra casa carregando suas compras na mão. A sacola do supermercado é cara e todos carregam as compras. Achei engraçado voltar pra casa carregando uma bandeja de carne e um vidro de iogurte.
  • Os dinamarqueses não incomodam os vizinhos com som alto. Todos se respeitam e o isolamento das casas ajuda.
  • O que chamou muito minha atenção foram os idosos se locomovendo com suas bicicletas. Fiquei encantada com os parques e espaços pra se exercitar e andar de bike.
  • Se você perde algo na rua, as pessoas têm a boa vontade de te devolver. Perdi meu gorro (quando estava equilibrando a carne) e um cara do outro lado da rua fez vários gestos até que eu entendi que meu gorro estava caído no meio da rua.
  • Eles são muito patriotas, a maioria dos quintais têm uma bandeira da Dinamarca. Gostaria que os brasileiros fossem assim, mas a maioria só é patriota na época de Copa do Mundo...

Após 15 dias entre os dinamarqueses tenho muitas coisas pra contar, mas se eu fosse registrar tudo aqui, escreveria um livro.

Se dig snart!