Um #Vídeo publicado em um canal no Youtube se propôs a revelar o que foi intitulado como "O segredo Macabro de Kiko". Usando uma trilha sonora de filmes de terror, o narrador começou o vídeo, falando sobre a história do seriado Chaves, que está no ar, no Brasil, pelo SBT, desde o ano de 1984, e foi, sem dúvida, a série mexicana de maior sucesso da TV aberta no mundo. O seriado criado e estrelado  por Roberto Bolaños teve também a participação de Carlos Villagrán, ator que fez o papel de Kiko.

O narrador do vídeo fala sobre supostas brigas entre Villagrán e Bolaños, e depois de uma introdução sobre a história do seriado, começa a contar o fato macabro que  seria o lado obscuro de Villagrán.

Publicidade
Publicidade

Tudo começou depois que Villagrán teria comprado um medalhão, em 1990. Ele nunca mais o teria tirado do pescoço, o que acabou alimentando inúmeras teorias. Algumas delas diziam que Villagrán era ligado à Maçonaria, outras que seria ligado aos Iluminatis, fato que nunca foi comprovado ou negado pelo ator.

No entanto, o que deixou tudo ainda mais macabro, foi o fato de que, no medalhão, é possível ver o desenho de um crânio em forma de caveira, o que não seria tão estranho se não fosse pelas letras que são vistas em torno da caveira. São elas:  R - A - R - M - E - R - F. Segundo o vídeo, as letras representariam as iniciais dos nomes de cada ator do elenco do seriado.

Se você acha que nada narrado até aqui, pode ser considerado macabro, veja a última informação que  o vídeo descreve. Segundo o vídeo, cada uma das das letras, que seriam, supostamente, iniciais de cada personagem, está posicionada na ordem em que os atores morreram ou devem morrer.

Publicidade

A primeira letra, R,  seria de Ramom Valdez, o Seu Madruga.

A segunda letra, A, seria de Angelines Wittmann, a Dona Clotilde (Bruxa do 71).

A terceira letra, R, de Roberto Bolaños, o Chaves.

As três pessoas acima já morreram, e o que é mais assustador, exatamente na sequência prevista no medalhão de Villagrán.

As iniciais que seguem, são;

M de Maria Antonieta, (Chiquinha)

E de Edgar Vivar, (Seu Barriga)

R de Rubén Aguirre, o professor Girafales, falecido dias atrás, sendo uma exceção à suposta sequência de morte.

E por fim, o F, de Florinda Mezza (Dona Florinda).

Estranhamente, a inicial do próprio Carlos Villagrán não está no medalhão. Assista:

 

#Televisão