Na quarta-feira (13), o TJMG (Tribunal de Justiça de Minas Gerais) prorrogou o prazo do julgamento de dois recursos do caso do assassinato da dançarina Eliza Samudio. O crime ocorreu em 2010, quando ela era amante de Bruno Fernandes, ex-goleiro do Flamengo. Mas, até hoje, após sete anos, ainda não foram desvendados todos os mistérios nesse caso de policia. Uma das coisas que mais intrigantes é o paradeiro do corpo de Eliza. Na época, a Polícia chegou até investigar se Eliza, depois de morta, teve a carne comida por cães.

Os advogados de defesa protocolizaram novos recursos, logo após terem em mãos cópia de documento de certidão de óbito da vítima.

No entendimento da defesa, esse novo requerimento provocará uma reviravolta. De modo que, o goleiro Bruno poderia até ser solto.

Assim sendo, na próxima audiência, serão julgados dois recursos impetrados pelos advogados de defesa. O primeiro recursos pede a anulação da certidão de óbito de Eliza, expedida em 24 de janeiro de 2013 pelo Cartório de Registro Civil de Vespasiano (MG), e homologada pela magistrada Marixa Fabiane Lopes Rodrigues, do Tribunal do Júri de Contagem. Na sentença, houve a condenação do Goleiro Bruno Fernandes e os demais envolvidos no assassinato de Eliza.

O segundo será a respeito das condenações de Bruno, que pegou 22 anos de prisão, e da outra ex-amante na época, Fernanda Gomes de Castro, cinco anos em regime aberto.

O defensor do goleiro Bruno, Fábio Gama, afirmou que seu cliente e os demais réus foram prejudicado com a emissão da certidão de óbito, devido ser inadmissível o julgamento imparcial da parte do júri.

Nesse sentido, a defesa busca a anulação do júri e, principalmente, a redução da pena do goleiro, que é considerada elevadíssima.

O TJMG irá analisar o recurso de Bruno Fernandes. A defesa dele enviou à Justiça pedido de requerimento de soltura do atleta. Conforme solicitação em um dos recursos, a defesa do goleiro solicita o cancelamento do documento de óbito de Eliza, pelo motivo de ter sido registrada com bases erradas.

Na hipótese de cancelamento da certidão pela Justiça, há possibilidade de acontecer uma reviravolta, talvez, até aconteça outro o julgamento. Nessa linha de raciocínio, Bruno e todos os outros acusados presos envolvidos no caso poderiam ser soltos. Todos os réus poderão ter a revisão de suas penas no próximo julgamento.

A data para audiência do julgamento do caso Eliza Samudio foi remarcada para o próximo dia 27.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!