Carlos Henrique Oliveira, de apenas 2 anos de idade, sobreviveu após ser picado duas vezes em sua perna direita por uma cobra Cascavel. O menino ficou durante 3 dias internado no hospital. O ataque aconteceu em Jataí, sudoeste de Goiás, na casa de amigos da família de Carlos.

Sua mãe relatou que ele não falava, não abria os olhos e ficou com parte de seu corpo dormente. A rapidez do socorro prestado pelos familiares foi fundamental para a sobrevivência do menino sem nenhuma sequela, o que a mãe Sheila Oliveira mais temia que pudesse acontecer seu filho.

Já o pai contou que a cobra estava escondida atrás de um dos galinheiros da chácara, tudo ocorreu apenas a dois metros de Leonardo (pai da criança).

Ele também acrescentou que tudo foi em um piscar de olhos. Agora o menino se recupera bem em casa e tomando os antibióticos designados pelos médicos que o atenderam. A atitude que tiveram de levar a serpente até o hospital também ajudou na salvação de Carlos, pois facilitou na identificação da espécie, o que agilizou os funcionários do hospital em encontrar o antídoto para o veneno.

Serpentes causam em media 129 mortes por ano no Brasil. Estatísticas dizem que 29 mil casos de acidentes envolvendo esses animais são registrados por ano. Segundo o instituto Butantan, a picada da cascavel não dói, o veneno dela é altamente poderoso, pois destrói células de vitamina no sangue, causando lesões musculares, afetando os sistemas renal e nervoso.

É preciso agir rápido para evitar uma fatalidade

O infectologista Helio Ranes diz que é preciso cautela antes de tomar certas atitudes quando um tipo de acidente como esse vem a acontecer, pois certas ações podem acabar agravando a situação, no pior dos casos causando uma infecção no local da ferida. Os pais passaram por momentos de tenção, porém souberam lidar com a situação e socorrer o garoto de forma rápida.

Em casos de picada de cobra o tempo é essencial pra evitar a fatalidade da vítima.

Caso você seja picado por uma cobra, lave o local da picada com soro, fique calmo, assim pode-se evitar que o veneno se espalhe por outras partes do corpo e se mantenha hidratado. Após prestar o socorro, procure rapidamente um médico e se possível leve a serpente para identificação do animal.

Não faça sucção do veneno, isto é um mito, e não tome qualquer remédio. Por conta da sábia agilidade dos pais, Carlos foi salvo do veneno da Cascavel que o atacou.

Siga a página Saúde
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!