Rafael ,, um dos sobreviventes do acidente aéreo do Chapecoense em 2016, morreu nesta última terça-feira (26), devido a um infarto. O jornalista estava jogando futebol na cidade de Chapecó e se sentiu mal durante o jogo. Ele foi socorrido e levado para o Hospital Regional do Oeste. Segundo informações Rafael ainda possuía sinais vitais no momento do socorro, mas não resistiu e veio a falecer.

O narrador de muitas partidas da Chapecoense tinha o hábito de jogar futebol todas as terças-feiras, mas na partida desta última ele se sentiu mal durante o jogo. Ele apresentava um programa na rádio, o que teria acontecido normalmente no dia de sua morte.

O jornalista iria narrar a disputa entre Chapecoense e Criciúma pela Copa do Brasil. O jogo, que era para acontecer nesta quarta-feira (27), depende da resposta ao pedido à Confederação Brasileira de Futebol para que seja adiado devido à morte do jornalista. Rafael foi à Europa há uns dias, onde esteve em dois festivais de cinema onde foi exibido o filme "Nossa Chape", que narra o processo de adaptação e superação dos jogadores e equipe do time após o acidente aéreo de 2016. O filme a respeito da tragédia deu início ao festival sobre futebol realizado em Berlim no dia último dia 21. Com direção dos irmãos americanos Jeff e Michael Zimbalist, o documentário é composto por algumas imagens gravadas pelos celulares dos jogadores pouco antes de embarcarem no avião para a Colômbia no voo que terminaria em tragédia.

Entre os sobreviventes da queda do avião estão três jogadores: Alan Ruschel, Neto e Jackson Follmann.

Chapecó em luto

O prefeito da cidade de Chapecó decretou luto oficial de três dias. Em nota lamentou a morte do jornalista e se solidarizou com a família e amigos de Hazel e agradeceu pela dedicação do narrador com a cidade. O velório de Rafael Hezel irá ocorrer no Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo de Nes, localizado ao lado da Arena Condá, o estádio do time Chapecoense.

Como sobrevivente do voo que levava a equipe do Chapecoense para a Colômbia, Hazel publicou um livro onde contou sua experiência com a tragédia e deixa uma mensagem importante a respeito da vida. O livro do jornalista se chama "Viva Como Se Estivesse de Partida".

O Chapecoense ainda aguarda a decisão da CBF a respeito do adiamento do jogo que Hazel iria narrar nesta quarta-feira (27), até o momento a entidade ainda não havia respondido o pedido do time para que o jogo fosse adiado em decorrência da morte do jornalista.

O time adversário, o Criciúma, concordou com o adiamento da partida.

Não perca a nossa página no Facebook!