Nesta sexta-feira (29) o Brasil irá enviar cerca de 870 quilos de remédios e materiais para ajudar as vítimas do ciclone que atingiu Moçambique. A ajuda segue para o país em dois aviões. A passagem do ciclone Idai deixou 460 mortos no país e 1,85 milhão pessoas afetadas pela tragédia. Os aviões que irão levar a ajuda para Moçambique são da Força Aérea Brasileira (FAB) e irão partir do Rio de Janeiro com kits de medicamentos e outros matérias de importância somando cerca de 870 quilos. Com essa quantidade, é possível atender um total de até três mil pessoas ao longo de três meses, segundo informações dadas pelo Ministério da Saúde.

Além dos materiais enviados para ajudar os atingidos pela tragédia em Moçambique, o Brasil também enviará bombeiros que estavam ajudando na tragédia de Brumadinho, juntamente com a Força Nacional.

O conteúdo dos kits enviados pelo Brasil é formado por antibióticos, anti-hipertensivos e antitérmicos, tais como penicilina, amoxicilina, paracetamol e soro para hidratação. Outros materiais de necessidade para saúde também estão sendo enviados nos kits, como ataduras, gazes, luvas, máscaras, seringas e esparadrapos.

Casos de Cólera

Na última quarta-feira (27) foram confirmadas pelas autoridades de Moçambique, cinco casos de cólera. Além dos casos da doença, os residentes da região estão enfrentando a falta de comida e água, além de outros itens cruciais.

O diretor nacional de Saúde, Ussein Isse, informou que possivelmente haverão outros casos da doença, visto que se trata de uma pandemia e pode ser amplamente disseminada pelo país. No entanto, eles estão tomando as medidas necessárias para prevenir o impacto que a doença pode causar nesse momento no país. A cólera se dissemina através da água ou fezes contaminadas.

O contágio pode acontecer de forma acelerada em situações de emergência, como o país está passando.

O ciclone Idai, chegou a Moçambique no dia 14 de março, com ventos de 170km/h, acompanhados de chuvas extremamente fortes. Sua passagem deixou inúmeras casas destruídas, principalmente na cidade de Beira, a segunda maior do país.

Para ajudar Moçambique, a Unicef fez um pedido de ajuda para que fossem arrecadados US$ 122 milhões (cerca de R$ 488 milhões) que serão destinados para ajudar o país e também o Zimbábue e Malaui.

Em levantamento realizado pela organização, já somam cerca de 3 milhões de pessoas afetadas pelo ciclone nos três países. De acordo com a fundação, este é o pior desastre que atingiu o sul da África em 20 anos.

As situações ainda devem piorar no país antes que melhorem, a Unicef informou também da importância e a preocupação com mulheres e crianças que estão em abrigos e podem estar em situação vulnerável para que sejam cometidos abusos.

Além dos afetos em Moçambique, estima-se que cerca de 869 mil pessoas foram afetadas também no Malauí, entre elas 443 mil crianças e 85 mil pessoas estão desabrigadas. Já no Zimbábue foram afetadas com o ciclone cerca de 270 mil pessoas e metade foram crianças.

Não perca a nossa página no Facebook!