O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) informou na última quinta-feira (4) que a cantora gospel Tânia Regina Levy foi condenada pelo crime de assassinato do marido, Eliel Silveira Levy.

O crime, que ocorreu no ano de 2013, foi julgado pelo Tribunal do Júri em uma sessão que durou 14 horas. Na ocasião, Tânia foi sentenciada à pena de 21 anos, 7 meses e seis dias de reclusão, inicialmente em regime fechado.

No entanto, enquanto acusada a cantora já respondia pelo crime em liberdade. Agora, a defesa recorreu da decisão e o juiz concedeu um novo julgamento, ainda sem data para acontecer. Nesse caso, Tânia vai aguardar o andamento do processo sem ir para prisão.

No tribunal

A audiência começou pela manhã, oportunidade em que cinco testemunhas de acusação e outras três testemunhas de defesa foram ouvidas. A cantora também cedeu depoimento à Justiça.

A promotoria e a defesa realizaram a sustentação oral do caso durante a tarde e à noite. O advogado de defesa, José Oscar Silveira Júnior, afirmou que a cantora é inocente e que constam falhas na investigação do processo. Outras pessoas poderiam estar envolvidas no crime de assassinato de Eliel Silveira Levy, disse o advogado.

Segundo o Ministério Público (MP), Tânia contou com ajuda de uma outra pessoa, ainda não identificada, para executar o crime que planejou. O fato teria dificultado a defesa da vítima e agora a cantora gospel responde por homicídio qualificado.

Em seguida, a equipe de jurados formada por três homens e quatro mulheres se reuniu para discutir a sentença da cantora. A decisão do juiz Luciano Francisco Bombardieri, da Comarca de São Pedro, foi de que Tânia Regina Levy, de 37 anos, planejou pormenores a execução dos fatos, em conjunto com o segundo suspeito não identificado.

Além de cometer o crime de assassinato, a acusada limpou a cena do crime, o que pode induzir a perícia ao erro e dificultar as investigações do caso.

O juiz Luis Carlos Maeyama Martins, da 1ª Vara de Justiça de São Pedro (SP), foi o responsável por calcular a sentença de mais de 21 anos de prisão da cantora gospel.

O crime

Em setembro do ano de 2013, o irmão da vítima havia registrado um boletim de ocorrência referente ao desaparecimento do casal. No mesmo dia, o corpo do guarda municipal Eliel Silveira Levy foi encontrado carbonizado em um porta-malas de um automóvel incendiado na zona rural de São Pedro, cidade do interior paulista que fica a 192 quilômetros da capital, São Paulo.

O reconhecimento do corpo só foi confirmado dois meses depois, em novembro de 2013. Na delegacia, a cantora gospel, companheira de Eliel, prestou um primeiro depoimento afirmando que não estava desaparecida, estava somente na casa dos pais.

No entanto, a cantora gospel foi presa na cidade de Piracicaba, a 160 quilômetros de São Paulo, acusada pela morte do marido. Tânia passou a responder pelo crime em liberdade após um habeas corpus concedido pela justiça.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Relacionamento
Seguir
Siga a página Música
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!