Em Teresina (PI), na noite de quinta-feira (4), em consequência do transbordamento de uma lagoa, que pertencia a um clube desativado, duas pessoas foram mortas, 40 casas foram destruídas, 40 pessoas estão feridas e outras desaparecidas.

A lagoa do clube desativado transbordou, rompeu a rua do terreno, que funcionava como dique e derrubou um muro que separava o clube do bairro Parque Ferroviário, localizado na zona sul da capital piauiense, entre a lagoa e o rio Poti. Segundo as autoridades locais, Maria de Holanda, de 70 anos, e Josiel, de 4, são as vítimas fatais da enxurrada. Maria estava em casa com o marido, Manoel, quando o rompimento aconteceu.

Segundo ele, um evento daquele porte nunca havia ocorrido na cidade.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, os feridos já estão na casa dos 40, sendo que também 40 casas foram atingidas pela enxurrada. Essas pessoas foram atendidas pelo Hospital de Urgência da cidade, em sua maioria. Segundo o secretário de Segurança Pública do Estado, parte dos feridos se encaminharam com os próprios recursos para esses atendimentos. O hospital da cidade informou que a maior parte das pessoas atendidas já recebeu alta.

Chuvas acima do esperado

Entre os que ainda estão internados, encontram-se Edmilson Lima, de 58 anos, com traumatismo craniano leve e uma fratura em um dos fêmures. Além dele, uma criança de 4 anos, do sexo masculino, não identificada, está em observação por conta de escoriações.

Foi montada uma base do Samu no local, para atender a população, mas ainda não se sabe quantas pessoas foram atendidas.

Segundo especialistas em clima, a provável causa do rompimento foram as chuvas intensas. No dia do rompimento, choveu o equivalente a 24,9% do que se espera para o mês inteiro. A informação foi confirmada pelo Corpo de Bombeiros, através do Major José Veloso.

Até o fechamento dessa matéria os serviços responsáveis por esses números ainda não havia divulgados quantas pessoas encontravam-se desaparecidas nem o número de desabrigadas, apenas que estavam sendo atendidos em uma igreja próxima, que serve também como ponto para o recebimento de doações a serem destinadas aos atingidos. Também informou que, até esta sexta-feira (5) atenderá a população com cestas básicas e materiais de limpeza.

Motivos do transbordamento da lagoa

A força das águas que causaram esses estragos foi potencializada pelo fato de que a lagoa se encontra em um terreno elevado, onde se localizava o antigo Clube Telemar.

A Defesa Civil informou que haviam sido executadas obras para o escoamento das águas, mas que o desabamento do muro tornou seus efeitos inócuos. Ainda segundo as autoridades, as casas, apesar de estarem em terreno irregular, resistiram, parcialmente, por serem de alvenaria.

Em virtude desses acontecimentos, aliados às cheias dos Parnaíba e Poti, o prefeito da cidade Firmino Filho, instaurou o decreto que coloca a cidade em situação de emergência. Segundo o prefeito, essa medida serviria para dar maior celeridade ao atendimento à população afetada.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Natureza
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!