Um flagrante de duas clientes humilhando o funcionário de uma lanchonete que estava fazendo a limpeza do local viralizou nas redes sociais nesta semana, e internautas acusam as jovens de racismo. As imagens gravadas por uma das jovens, que já foi identificada como sendo Júllia Rodrigues, mostram-na com uma amiga gritando com o funcionário e dizendo para ele lamber o chão. “Isso mesmo, limpa pra eu ver”, foi outra frase usada por elas para destratar o funcionário.

Além do vídeo que viralizou, Jullia também fez outras imagens dizendo que têm pretos “bonitinhos”, mas ele é um preto feio e horroroso.

A jovem ainda não se conteve e falou também do órgão sexual do jovem, e alegou que ela e sua amiga fizeram um “auê” no trabalho do rapaz.

Nesta terça-feira (2), o assunto do vídeo foi o terceiro mais comentado no Twitter, e os internautas definiram a atitude das jovens como racismo, pedindo assim punição para elas. Além de Júllia, a outra participante do vídeo também já foi identificada como sendo Thaís Araújo.

Depois que as imagens viralizaram, a autora do vídeo, Júllia Rodrigues, excluiu a sua conta do Instagram. Mas diferente dela, Thaís decidiu tomar outra atitude e se pronunciou sobre o ocorrido através de vídeos na rede social. A garota relatou que namorou o rapaz durante seis anos e o conhece há oito. A jovem também admitiu que sua atitude não foi certa, mas não considerava seu ato como racismo.

“Ele sabe que não sou racista”, disse.

A jovem também aproveitou para afirmar que no dia em que as imagens foram gravadas, ela estava fora de si e termina pedindo desculpas ao ex-namorado e a todos que possam ter se ofendido com tais palavras.

Não foi racismo, diz professora de direito

Mesmo com as graves acusações feitas por internautas, segundo Fernanda Freixinho, professora de Direito Penal e de Processo Penal, em entrevista ao site do jornal Extra, o flagrante não configura racismo, mas se enquadra no crime de injúria racial.

A professora também explicou que antes de se iniciar qualquer processo, o ofendido deve manifestar seu desejo de seguir ou não com o processo judicial.

Lanchonete se pronuncia através de nota

A lanchonete Bob’s, onde foram gravadas as imagens, se pronunciou através de nota à imprensa e disse repudiar todo e qualquer tipo de discriminação e assédio. A lanchonete também aproveitou para lamentar o ocorrido nas imagens e disse que o funcionário segue trabalhando normalmente na empresa, desmentindo assim a “fake news” de que o mesmo teria sido demitido após a repercussão do vídeo.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!