Uma jovem de 19 anos, que no domingo (26) havia saído para prestar vestibular, foi encontrada morta na tarde desta segunda-feira (27), dentro de um rio na cidade de Sorocaba, no interior de São Paulo. De acordo com familiares, haviam marcas de agressões no corpo, informação que a Polícia Civil não confirma, e o laudo do IML apontou a causa da morte como afogamento.

O corpo de Rafaela de Campos, de 19 anos, foi encontrado por pedestres por volta das 16h30, dentro do rio Sorocaba, no trecho raso que passa próximo à rua Nogueira Padilha, área bastante movimentada na zona leste da cidade. O reconhecimento foi feito por parentes que estavam no local.

O velório será na tarde desta terça-feira (27), na Ossel de Votorantim, e o enterro da estudante está marcado para esta quarta-feira (29), no cemitério São João Batista, em Votorantim. Ainda durante a semana, familiares serão chamados para prestar depoimento.

Saída de Votorantim para prestar vestibular em Sorocaba

De acordo com informações contidas no Boletim de Ocorrência, a jovem havia saído de sua casa, no bairro Jardim Paraíso, na cidade vizinha de Votorantim, logo após o almoço, para prestar vestibular no centro de Sorocaba. Ela fazia gestão financeira e prestava vestibular para ciências contábeis.

Ainda segundo informações do BO, por volta das 18h30 a jovem deixou o prédio onde havia feito a prova e mandou uma mensagem de áudio para uma amiga, falando das dificuldades das questões e dizendo que tinha sido a última a sair da sala.

“Fui a última a sair. Muito difícil”, falou.

A amiga respondeu por volta das 20h25, mas não recebeu nenhuma resposta, e o recado também não havia sido visualizado. No dia seguinte, outra amiga chega a enviar mensagem para Rafaela, dizendo que sua mãe estava lhe procurando, mas mensagens chegam até o aparelho da jovem, mas não são visualizadas.

Preocupada, a família procurou a polícia e prestou queixa do desaparecimento.

Uma câmera de segurança mostrou Rafaela saindo da faculdade e andando em uma rua perto da rodoviária da cidade.

Em nota, a ESAMC confirmou que Rafaela havia prestado vestibular na instituição, lamentou a morte da garota e se colocou à disposição para colaborar com as investigações. “Com muita tristeza, solidarizamo-nos com os familiares e amigos de Rafaela”, dizia um trecho da nota.

Apesar da causa da morte ter sido apontada como afogamento, a Polícia Civil trata o caso como sendo de homicídio e não descarta outras hipóteses.

Em entrevista concedida à TV Tem, afiliada da Globo na região, familiares disseram que a vítima parecia ter marcas de agressão pelo corpo, o que foi negado pela polícia.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Educação
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!