Foi informado pela Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam), na última quarta-feira (8), que as investigações acerca do abuso de uma estudante de psicologia chegaram a uma conclusão sobre os culpados. Os dois homens encontrados mortos com um bilhete inusitado são os autores do crime, que aconteceu durante a última semana na cidade de Cabo Frio, localizada na Região dos Lagos, no Rio de Janeiro.

O bilhete continha uma frase que atribuía autoria do crime aos dois homens. Os corpos dos criminosos foram encontrados no bairro Jardim Peró, no sábado (4). Eles foram reconhecidos pela vítima na segunda-feira (6), e, na mesma data, a Polícia encontrou imagens obtidas através de câmeras de segurança que ajudaram na conclusão da investigação.

As filmagens obtidas pela polícia mostram os dois criminosos assaltando um restaurante e alguns pedestres em Cabo Frio durante o tempo em que mantiveram Andreza Nascimento, de 21 anos, como refém. Atualmente, as autoridades responsáveis pela investigação do crime procuram pelo terceiro homem que tomou parte no estupro de Andreza.

Quatro horas de abuso

O crime aconteceu quando a jovem estava de carro com um amigo. Eles foram abordados por três homens, na porta da casa de Andreza, localizada no bairro Vinhateiro, no município de São Pedro da Aldeia. Os fatos narrados transcorreram na noite de quinta-feira (2) e duraram até a madrugada de sexta-feira (3). Na ocasião em que a jovem e seu amigo foram rendidos, um dos homens se encontrava armado.

Através de um relato publicado nas redes sociais, Andreza afirmou ter sido abusada durante o período de quatro horas.

Na postagem em questão, a jovem revela que pensou bastante antes de expor os fatos ocorridos publicamente, mas que acredita que essa exposição pode vir a ajudar futuras vítimas.

O relato de Andreza prosseguiu narrando o que aconteceu com ela durante as quatro horas em que foi mantida em poder dos criminosos. De acordo com a jovem, uma arma estava apontada para a sua cabeça enquanto ela era abusada.

Atualmente, a postagem conta com milhares de compartilhamentos.

O crime foi registrado em uma delegacia e, de acordo com esse registro, antes que o crime acontecesse, o amigo que acompanhava Andreza foi forçado a dirigir até um local de pouco movimento, localizado no Porto do Carro. Uma vez nesse local, o rapaz foi colocado no porta-malas do carro após receber algumas coronhadas.

Após o estupro, a jovem também foi colocada no porta-malas do veículo e os criminosos ameaçaram incendiar o carro. Ela e seu amigo forçaram o trinco, conseguiram escapar e, alguns metros depois, localizaram policiais, para quem pediram ajuda.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!