Isabela Tibcheran, namorada de Rafael Miguel, morto a tiros junto dos pais na tarde deste domingo (9), prestou depoimento na noite desta segunda-feira (10), no 98º Departamento de Polícia.

Segundo informações da Polícia Civil, o comerciante Paulo Curpertino Matias, de 48 anos, pai de Isabela, não aprovava o relacionamento da filha com o ator. Suspeito de cometer o crime, ele fugiu e está sendo procurado pelas autoridades.

Em declarações à imprensa, o advogado da jovem disse que Rafael e seus pais não haviam ido até a casa dos pais de Isabela pedir permissão para que eles mantivessem o relacionamento, conforme chegou a ser inicialmente levantando.

Isabela voltava para casa, juntamente com o ator e seus pais, que lhe haviam oferecido carona. Chegando lá, foram surpreendidos pelo comerciante, que estava armado. Ela relatou ainda que a ação foi muito rápida.

Após Isabela deixar o veículo, o comerciante passou a discutir com o ator, e, em seguida, atirou nele e em seus pais.

Além de Rafael Miguel, de 22 anos, morreram seu pai, João Alcisio Miguel, de 52 anos, e Miriam Selma Miguel, de 50. O enterro aconteceu durante a tarde, no Cemitério Campo Grande. Na saída, Isabela falou rapidamente com os jornalistas. "Ele salvou a minha vida, ele foi um herói", disse. "Os pais criaram um príncipe, um anjo", seguiu.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

Comerciante já havia sido preso por roubo

O portal G1 ouviu investigadores, que revelaram que o comerciante Paulo Cupertino Matias já foi preso em flagrante em 1990 por roubo. Ele permaneceu detido por alguns meses, mas logo depois foi liberado. Ele chegou a ser condenado a dois anos de cadeia, mas recorreu, e a sentença foi invalidada. Ainda de acordo com policiais, existem outras ocorrências contra ele por furto.

Vizinho descreve momentos de terror

Morador há 40 anos da rua onde o ator Rafael Miguel e seus pais foram mortos, o aposentado José Marques, de 69 anos, relatou os momentos de terror que se passaram na tarde de domingo.

Ele contou que fazia um churrasco com familiares quando escutou os disparos, e, inicialmente, as pessoas pensaram que fossem bombinhas, mas pediu para que todos corressem para dentro, e depois ouviu uma pessoa gritar.

"Tinha uma pessoa que gritava muito, acredito que fosse a namorada", disse o aposentado.

Marques falou ainda que havia crianças jogando bola na rua e após os disparos elas saíram correndo. "Eu fui verificar o que tinha acontecido e vi três pessoas mortas", falou. Sobre o acusado de ter cometido o crime, ele disse que o conhecia e o descreve como uma pessoa reservada. "Não sabia que ele era violento", disse.

Já outro vizinho, que não quis se identificar, tem uma visão diferente do acusado, e afirma que o comerciante tinha fama de ser um homem muito violento.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo