A Polícia esteve nesta quinta-feira (27), mais uma vez na casa da deputada Flordelis [VIDEO], onde há dez dias aconteceu o assassinato de seu marido, o pastor Anderson do Carmo, morto a tiros. As autoridades foram até a residência, em Niterói, para entregar mais oito intimações para que mais pessoas da família prestem depoimento e também pegar o carro do pastor, que ficou com marcas de tiros, mas foram impedidas pela deputada de levarem o veículo.

Os advogados da deputada alegaram que não havia nenhum mandado de apreensão e, por isso, não permitira que o carro fosse levado pelos policiais, que também estão em busca do celular do pastor, que continua desaparecido.

A polícia já sabe que o aparelho foi utilizado horas depois de Anderson ter sido morto, quando um dos filhos enviou mensagens a grupos evangélicos de um aplicativo confirmando o que havia acontecido.

Uma das hipóteses para o sumiço do celular do pastor é que uma das netas de Flordelis tenha jogado o aparelho no mar. Isso teria acontecido no dia 18, mesma data em que a polícia realizou busca e apreensão na casa do pastor. A neta já foi ouvida pela polícia e disse que tinha ido até a praia, que fica a oito quilômetros da casa do pastor, para tomar banho de mar. O mototaxista que levou a neta para a praia também já foi ouvido pela polícia.

Dois de Flordelis filhos estão presos

Na madrugada do último dia 16, o pastor Anderson do Carmo foi morto a tiros na garagem de sua casa, em Niterói, região metropolitana do Rio de Janeiro, logo após voltar de uma confraternização, onde estava acompanhado a esposa e deputada estadual Flordelis.

Após as primeiras investigações, as autoridades afastaram a hipótese de latrocínio e passou a focar as investigações em dois dos filhos do casal, que entre biológicos e adotivos, tem 55 filhos.

Flávio dos Santos Rodrigues, de 38 anos, filho biológico de Flordelis foi preso durante o enterro do padrasto. Havia contra ele uma acusação de violência doméstica, porém, ele chegou a admitir que havia dado seis tiros no pastor, informação que dias depois foi desmentida pelos seus advogados.

Exames apontaram 30 perfurações de bala no corpo do pastor.

Já o filho adotivo do casal Lucas Santos, de 18 anos, também está preso, inicialmente sob acusação de estar envolvido com o tráfico de drogas, porém é apontado por ter conseguido a arma do crime. Um dos filhos de Flordelis disse que sua tia havia oferecido 1R$ 0 mil para que Lucas cometesse o crime e disse que sua mãe e três tias estariam envolvidas na morte do pastor.

A delega Bárbara Lomba, que está responsável pelo caso já colheu o depoimento de 20 pessoas e, de acordo com ela, todas são consideradas suspeitas.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!