Rogério Lins (PTN), prefeito de Osasco, cidade que fica na zona oeste da Grande São Paulo, ficou ferido após a explosão de uma fogueira [VIDEO] de festa junina, na noite desta sexta-feira (28). O mandatário osasquense participava da aberta do “Arraiá do Servidô”, que estava sendo realizado em um espaço de eventos do bairro Jardim das Flores.

A explosão ocorreu no momento em que Lins acendia a fogueira utilizando uma tocha e, além dele, também feriu a primeira-dama Aline Lins. Eles foram socorridos por populares e levados para o Hospital Municipal Antônio Giglio por uma ambulância que acompanhava nos festejos.

A unidade de saúde prometeu para este sábado (29) a divulgação do boletim médico do casal.

A assessoria de imprensa da prefeitura de Osasco informou que o casal segue internado e o estado de ambos é considerado estável. A imprensa da cidade noticiou que eles sofreram queimaduras de primeiro grau.

Pessoas que moram próximas ao local onde estava acontecendo o evento relataram que a explosão foi tão forte que janelas chegaram a sacudir. As primeiras informações dão conta que havia excesso de gasolina na fogueira, que tradicionalmente é acesa pelo prefeito da cidade. O evento sempre é acompanhado pelo Corpo de Bombeiros, o que não ocorreu desta vez.

Imagens feitas por pessoas que acompanhavam a cerimônia de abertura registraram o momento em que a fogueira explode logo após o prefeito se aproximar com uma tocha.

Não existem informações dando conta se outras pessoas também ficaram feridas com a explosão.

O tradicional evento reúne milhares de pessoas todos os anos e nesta edição terá um show do cantor Netinho de Paula, além de parque de diversões e comidas típicas. O acendimento da fogueira era uma das atrações finais da noite.

Prefeito está em seu primeiro mandato

Rogério Lins (PTN) está em seu primeiro mandato como prefeito de Osasco. Nas eleições de 2016 ele venceu no segundo turno com 61,2% dos votos válidos contra 38,7% de Jorge Lapas (PDT), que tentava a reeleição. A cidade, situada na região oeste da Grande São Paulo, possui uma população de quase 700 mil habitantes.

Às vésperas de tomar posse o então prefeito eleito passou cinco dias preso na Penitenciária do Tremembé por conta de acusações de participar de um esquema de funcionários fantasmas na câmara dos vereadores da cidade. Esses funcionários que não trabalhavam tinham que repassar parte de seus vencimentos.

Ele havia tido a prisão decretada em 6 de dezembro, tendo ficado quase um mês foragido e se entregou apenas na última semana de 2016. Ele se entregou em 25 de dezembro, após voltar de uma viagem a Miami, nos Estados Unidos. Lins foi solto apenas na antevéspera de sua posse.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!