Recentemente, uma criança de apenas sete anos de idade deixou os moradores de Praia Grande, cidade localizada no litoral de São Paulo, encantados com a sua capacidade de ser empática.

A situação aconteceu quando a criança em questão fez um desenho de um pássaro em um cartaz de "procura-se", com o objetivo de ajudar os seus familiares a encontrarem a calopsita da família, que havia fugido. O animal desapareceu no bairro da Aviação.

A calopsita se chama Kiko (ainda que no cartaz feito pela criança tenha sido escrito Kico). Ela desapareceu na última segunda-feira (16) da casa da família. A ave pertence a Valdilene Fernandes, uma dona de casa de 44 anos.

De acordo com informações fornecidas pela própria Valdilene ao portal G1, o pássaro circulava livremente por todas as áreas da casa. Entretanto, ela acabou se assustando e voando para fora da residência.

Desde essa ocasião, a calopsita nunca mais foi vista.

A respeito da fuga da calopsita, Valdilene destacou que estava conversando com a sua cunhada na lavanderia da casa, e a ave se aproximou delas. Entretanto, ao perceber a aproximação, ela se virou de maneira brusca e acabou fazendo com que Kiko se assustasse e levantasse voo.

Atualmente, a tutora do pássaro afirma que está preocupada se ele tem conseguido comer e dormir e salienta que deseja que o seu retorno ao lar não demore muito para acontecer.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Animais

Ao ver a tia chateada pela perda do bicho de estimação, a garotinha responsável pelo cartaz resolveu tomar a frente da situação. Kimberly Dias Gonçalves, a menina em questão, fez o desenho para ajudar a procurar por Kiko e andou por todo o bairro com Valdilene para tentar encontrar a calopsita.

A respeito da motivação da pequena, Valdilene ressalta que se sentiu muito mal pelo que aconteceu, e Kimberly acabou se compadecendo.

Triste pelo desaparecimento

Ainda a respeito da fuga de Kiko, a tutora da ave afirma que está se sentindo muito mal por não tê-lo mais por perto. Valdilene afirmou que passa os seus dias chorando e que sempre se lembra do animal de estimação, que tinha o costume de acordar junto com ela e receber um beijo de bom dia.

Ainda sobre Kiko, a dona da ave destacou que o animal de estimação era a sua companhia pela casa, uma vez que estava sempre no mesmo cômodo que ela, bem como presente em todas as situações de seu cotidiano.

Por fim, ela pediu para que as pessoas que possuam informações a respeito do paradeiro de Kiko entrem em contato com ela.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo