A Polícia Civil investiga o assassinato a tiros de três jovens, entre 15 e 20 anos, ocorrido na noite desta quarta-feira (25), em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. De acordo com informações passadas pela polícia, por volta das 20h30, um homem entrou na casa, no Bairro Centenário e atirou nas vítimas, que estavam jantando. Na casa ainda estavam uma criança de quatro anos e uma idosa, que não sofreram ferimentos.

As três garotas mortas foram identificadas como Ingrid Rocha de Souza, de 19 anos, sua irmã Stéfani Rocha, de 15 anos, além de Andressa Soares Lima Dominique, de 20 anos, que era prima das duas outras jovens. Elas morreram na hora e o assassino fugiu. Vizinhos contam que ouviram gritos vindos da casa.

Imagens de câmeras de monitoramento estão sendo buscadas na tentativa de identificar quem seria o autor do triplo homicídio.

Testemunhas relatam que o assassino poderia ser o ex-namorado de uma das jovens mortas.

Durante toda a madrugada, parentes das vítimas estiveram na Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) prestando depoimento. Até o início da tarde desta quinta-feira (26), não havia qualquer informação a respeito do enterro das vítimas.

Família diz que vítimas não conheciam atirador

Um dos familiares das vítimas disse que elas não conheciam o atirador que invadiu a casa.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia Fluminense

De acordo com ele, o invasor queria roubar os aparelhos de celular das vítimas e a todo o momento apontava a arma para elas.

O familiar, que não quer se identificar por temer represálias, relatou ainda que a idosa que estava na casa só não foi morta por falta de munição. "Ele deu dois disparos em direção a avó e só não acertou porque a bala da arma acabou", disse a testemunha, que afirmou ainda que o atirador tinha em torno de 40 anos e 1,70 m.

"Não temos ideia do que possa ter motivado isso. Eram boas meninas", disse o parente, que relatou ainda desconhecer qualquer ameaça que as jovens pudessem estar recebendo. "Pelo que sei não vinham recebendo qualquer ameaça", falou.

Guitarrista é morto a tiros

A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense também investiga a morte do guitarrista Leonardo Silva, também conhecido como Léo da Guitarra.

Ele foi assassinado a tiros na noite da última segunda-feira (23), em Nova Iguaçu, após deixar um culto evangélico.

A vítima estava em um carro, junto com um casal de amigos, quando na rua Cândido Lima uma moto com dois ocupantes emparelhou e seus ocupantes abriram fogo apenas na direção do guitarrista.

Agentes da Divisão de Homicídios estão atrás de câmeras de segurança que possa trazer pistas sobre os assassinos e as investigações seguem a linha de execução.

Leonardo foi enterrado nesta quarta-feira (25), no cemitério Vale do Sol, em Queimados.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo