Um homem que foi curado de um câncer em estado terminal devido a um tratamento inédito feito na América Latina, acabou morrendo em Belo Horizonte este mês devido a um acidente. A Polícia Civil informou que o corpo de Vamberto Luiz de Castro, de 64 anos de idade, deu entrada no Instituto Médico Legal em 11 de dezembro e teve a sua saída ocorrendo no mesmo dia. O acidente que Vamberto sofreu acabou causando um grave traumatismo craniano, e o homem não resistiu ao ferimento e veio a falecer. A família não quis falar a respeito do assunto.

Segundo informações dadas pelos amigos dos familiares de Vamberto, a missa de sétimo dia dele ocorreu nesta última terça-feira (17).

O enterro foi realizado no Cemitério Parque Renascer, em Contagem, na Grande Belo Horizonte.

Na época o paciente se encontrava em fase terminal de um linfoma, que pode ser muito agressivo e afetando os ossos de forma que prejudicava até mesmo a locomoção. Diante disso, o homem procurou por ajuda no Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, onde ele passaria por um tratamento inédito na América Latina. Os responsáveis por conduzir o tratamento era uma equipe formada pela USP.

Tratamento Inovador

O tratamento em questão utilizado para curar a doença de Vamberto era uma terapia genética chamada CART-Cell. No mês de outubro devido a uma melhora apresentada pelo paciente após o início da terapia em questão, ele acabou conquistando a alta dos médicos e foi liberado para voltar a seguir sua vida normalmente.

Antes que o tratamento, que foi totalmente custeado pelo Sistema Único de Saúde (SUS), fosse iniciado com Vamberto, ele diariamente tomava doses muito altas de morfina para poder suportar a dor proveniente da doença. Neste ponto ele também já não conseguia sequer andar devido às dores e os tumores que foram se agravando cada vez mais. Os tumores haviam se espalhado pelos ossos do paciente neste período.

No início do mês de setembro, o corpo de Vamberto havia sido tomado pelos tumores que se espalhavam cada vez mais. Mas, após iniciar o tratamento, a maioria dos tumores que impediam até mesmo o homem de andar haviam desaparecido de seu corpo. Os que ainda estavam presentes, segundo os médicos, estavam apresentando uma melhora conforme o tratamento seguia.

Em outubro deste ano Vamberto concedeu uma entrevista ao portal G1 em que falou a respeito do tratamento que vinha fazendo no SUS. Ele declarou na época que esperava que isso pudesse acontecer para todas as pessoas que passam por esta situação. Ele ainda declarou que acreditava que este benefício deveria ser entregue ao maior número de pessoas possível. Nos Estados Unidos este tipo de tratamento pode custar o equivalente a mais de R$ 475 mil.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Saúde
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!