Um caso raro tem deixado os especialistas da área de Saúde muito intrigados em Redenção, que fica no sul do Pará. Isso porque irmãs gêmeas que nasceram há cerca de 6 meses até o momento não tiveram sequer uma reação, e os médicos estão classificando o caso como “comatoso”, que significa que o paciente em questão conta somente com reflexos primitivos, e que parecem estar em um sono profundo. Até o momento os médicos do hospital onde as gêmeas estão não conseguiram chegar a uma diagnóstico a respeito do caso das duas.

Porém, eles até o momento estão especulando que as pacientes podem ser um caso raro onde elas possuem um erro inato do metabolismo.

Desde o nascimento de Ana Júlia e de Ana Sofia, elas não acordaram e também não conseguem respirar sem que seja através da ajude de aparelhos que são ligados nelas a todo momento. A alimentação das crianças também é feita através de uma sonda gástrica.

Helena Coelho, que é pediatra intensivista da UTI do hospital onde as crianças estão, alegou que eles agora estão fazendo um estudo a respeito do caso das gêmeas para poder conseguir chegar a uma conclusão a respeito da doença que elas possuem, mas que o erro inato do metabolismo que foi alegado por eles foi determinado por um diagnóstico de exclusão primeiramente, porém esse não é o diagnóstico final a respeito das crianças.

Ela alega ainda que as gêmeas não acordam nunca e que tem convulsões, além dos reflexos primitivos que foram notados.

Esclarecimento da Médica

A médica ainda esclareceu um pouco a respeito do erro inato do metabolismo e alegou que isso é devido ao fato de que o organismo não consegue produzir nem organizar o processo onde são formadas as enzimas necessárias. Ela esclarece ainda que esta é uma doença genética e que pode ter sido o resultado de outras várias coisas, como a glicose, e outros fatores que podem causar algum tipo de alteração no metabolismo.

Diante disso, a pediatra também declarou que o quadro neurológico do paciente que apresenta essa doença pode acabar sendo prejudicado e também pode acabar prejudicando a respiração e o quadro comatoso. Eles ainda, no entanto, não tem um diagnóstico final e a pediatra alega que irão fazer mais exames para poder chegar a uma conclusão a respeito do estado de saúde das gêmeas.

A mãe das crianças, Luana Tintiliano da Silva, teve que fazer uma cirurgia e apêndice quando ela ainda estava grávida das gêmeas, além disso ela também foi diagnosticada com um mioma no útero.

No entanto, os médicos estão descartando a possibilidade da cirurgia que a mãe precisou fazer durante a gravidez possa ter afetado e alguma forma a formação da gêmeas causando essa alteração. Com isso eles concluem que nada do que aconteceu com a mãe durante a gestação pode ter feito com que o quadro das crianças ao nascerem fosse esse atual.

Siga a página Horóscopo
Seguir
Siga a página Saúde
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!