Após serem feitas as análises das câmeras de segurança, e devido aos depoimentos dados a respeito do caso, a Polícia Civil chegou à conclusão de que a youtuber Karol Eller foi quem iniciou a briga que aconteceu no último domingo (15), em um quiosque na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio de Janeiro, com o auxiliar administrativo Alexandre da Silva. Os responsáveis pela investigação do caso alegam que a agressão em questão não ocorreu por homofobia, como Karol e sua namorada haviam informado que aconteceu. Agora, a youtuber terá que responder por ter dado um depoimento falso alegando que o crime tenha sido pelo motivo apontado, que foi desmentido devido às imagens das câmeras apuradas.

A Polícia após analisar os dados a respeito do caso concluiu que Karol foi quem iniciou a briga por ter sentido ciúmes da namorada. Agora, após alegarem que o crime foi motivado por homofobia, Karol e a namorada vão responder por crime de denunciação caluniosa, pois no depoimento que deram à delegada Adriana Belém, haviam declarado que a motivação para as agressões foi por homofobia. No entanto, quando os policiais responsáveis por investigar o crime comprovaram com a ajuda das imagens que Karol havia incitado a briga com o auxiliar.

A delegada responsável pelo caso declarou que não poderiam admitir que Karol e sua namorada usassem a delegacia para mentir e usar de uma causa nobre para isso. Para Belém, a youtuber utilizou de uma luta dos homossexuais para se justificar e acabou banalizando a causa mentindo desta forma sobre a motivação das agressões que alega que sofreu.

Ela concluiu ainda dizendo que achou triste a atitude de Karol e que não pode admitir este tipo de coisa.

Por outro lado, a defesa de Karol nega que a agressão ocorreu de forma mútua, e que a youtuber tenha agredido o homem no momento em que se desentenderam. O advogado responsável pelo caso da youtuber, Rodrigo Assef alegou que não ocorreu agressão mútua e que as imagens das lesões que foram sofridas por Karol Eller indicam isso.

O advogado ainda alega que não possui acesso ao inquérito policial e que a notícia a respeito das agressões foi uma surpresa para ele, ao ser informado de que Karol estava sendo acusada de ter começado a briga com o auxiliar.

A agressão

Nas imagens do momento da agressão, Karol aparece bastante alterada e levanta a camisa para mostrar para o funcionário do quiosque que não estava em posse de armas.

Logo em seguida, ela faz o pedido de uma bebida no local. No momento também é possível ver Carlos Guilherme amigo de Alexandre que tenta a todo momento acalmar a youtuber. Karol em seguida parte para cima de Alexandre, que estava na ciclovia no momento. De acordo coma análise da polícia a respeito do vídeo, Karol dá um soco em Alexandre e o puxa pela blusa. Logo depois os dois caem no chão e Alexandre chuta Karol por duas vezes.

Nesta última quinta-feira (19), um funcionário do quiosque onde ocorreu a confusão alegou em seu depoimento que Karol estava armada. Ele também conta que ela estava visivelmente alterada, e que tentou agredir Alexandre várias vezes. Segundo o funcionário, Alexandre chegou até mesmo a pedir para que a youtuber deixasse a arma que estava em sua posse.

Depois de toda a briga, o funcionário conta que Karol ainda deu socos em sua namorada, a policial civil Suelen Santos, que era a dona da arma que ela estava usando no momento. O trabalhador relatou em seu depoimento que durante a briga Karol acabou caindo no chão e bateu o rosto, e ficou inconsciente. A polícia agora vai analisar se as marcas no rosto da youtuber poderiam ser devido à queda.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!