De acordo com informações veiculadas pelo Ministério da Saúde, a partir do mês de março de 2020, é possível que alguns estados do Nordeste, assim como o Rio de Janeiro e o Espírito Santo, enfrentem um surto de dengue.

Segundo Rodrigo Said, porta-voz do ministério, a dengue é uma doença que ocorre por temporadas, condicionada às estações do ano. Devido ao seu caráter dinâmico, os quadros dos pacientes acometidos podem mudar em pouco tempo.

Ao comentar a respeito da doença, o porta-voz ainda destacou que todos os nove estados dos Nordeste, assim como os citados na região Sudeste, podem passar com um surto e ter um grande número de suas populações afetadas pela dengue, assim como aconteceu no ano de 2019.

As afirmações foram feitas por Said ao site G1.

No ano passado, segundo dados, foram registrados cerca de 1,5 milhão de casos de dengue em todo o território nacional. Entre os casos, 782 terminaram com a morte do paciente. Essas informações foram fornecidos pelo próprio Ministério da Saúde e, de acordo com ele, o ano de 2019 apresenta aumento de 488% em relação a 2018.

Devido a esses fatores, o ano de 2019 passou a ser considerado atípico quando se pensa na ocorrência da doença. Isso se deve ao fato de que em 2017 e 2018, especialmente quando se pensa períodos anteriores, os casos foram bem mais baixos do que no ano passado.

Segundo Rodrigo Said, o aumento em 2019 está ligado ao fato de que em todos os anos anteriores havia circulado o mesmo tipo de vírus ligado à dengue. Além disso, uma vez que uma determinada pessoa contrai a doença, ela fica imune para aquele vírus específico para sempre, o que não assegura que ela não possa ser contaminada por outras variações.

Saiba mais sobre a dengue

Atualmente, sabe-se que a dengue conta com 4 tipos de sorotipo do vírus.

Eles, por sua vez, circulam por todo o Brasil mas a sua intensidade varia de acordo com a temporada. Assim, de acordo com informações de Said, os surtos da doença costumam acontecer quando algum tipo de mudança nos meios de circulação do vírus acontece no território nacional.

Uma mudança desse tipo ocorreu ainda no fim de 2018, na região Sudeste e em parte da Centro-Oeste. No período citado, um vírus sorotipo 2 começou a circular e as pessoas não possuíam imunidade a ele, visto que se tratava de um tipo que não estava presente anteriormente desde o ano de 2008.

Devido a esses fatores, ele se tornou bastante forte e conseguiu encontrar hospedeiros.

De acordo com o G1, a presença desse sorotipo nas regiões citadas faz com que seja possível compreender os motivos ligados à alta ocorrência de dengue, que chega a somar 77% dos casos no Brasil, em apenas 3 estados: Minas Gerais, Goiás e São Paulo, os três áreas de circulação do sorotipo 2 no ano de 2018.

Siga a página Saúde
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!