Na manhã dessa quarta-feira (15), Aguinaldo Guilherme Assunção, preso suspeito do assassinato da menina Emanuelle Pestana de Castro, de apenas 8 anos, foi encontrado morto em sua cela no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Cerqueira César, no interior de São Paulo.

Emanuelle desapareceu ainda na última sexta-feira (10). Na ocasião, a menina brincava em uma praça próxima ao bairro Cohab, em Chavantes, também no interior de SP, quando desapareceu. O corpo da garota somente foi encontrado na segunda-feira (13), em uma região de mata localizada próxima a um córrego da área rural de Chavantes.

As imagens das câmeras de segurança próximas à praça em que a menina desapareceu despertaram a atenção da Polícia após a percepção de que Agnlado, que era vizinho da vítima, aparecer duas vezes em um mesmo dia.

Entretanto, o homem usava uma roupa diferente a cada aparição.

Segundo a polícia, Agnaldo confessou o crime e afirmou que ele foi motivado por uma vingança contra a mãe de Emanuelle que, segundo ele, se recusava a deixar a filha brincar com o seu enteado.

De acordo com informações do boletim de ocorrência referente à morte de Agnaldo Guilherme, um funcionário do Centro de Detenção Provisória da cidade estava realizando a sua contagem de presos e acabou percebendo que o homem estava com um lençol enrolado no corpo.

A partir disso, o funcionário entrou em contato com a enfermaria do CPD, que confirmou a morte do preso. Segundo informações fornecidas ao G1 pela Polícia Civil, no momento em que o corpo de Agnaldo foi encontrado pelo funcionário, o suspeito estava sozinho na cela.

Antecedentes criminais

De acordo com informações do G1, Agnaldo Guilherme Assunção estava preso desde a última terça-feira (14). Na ocasião, o homem havia passado por uma audiência de custódia, na qual a sua prisão preventiva foi determinada pelo juiz.

O motivo para tal está ligado à confissão do assassinato de Emanuelle.

Ainda durante o interrogatório do suspeito, ele forneceu detalhes sobre como a menina foi morta e também sobre o local exato em que havia deixado o seu corpo.

Após a prisão de Agnaldo, os seus antecedentes criminais foram checados. Durante essa checagem, ficou provado que o suspeito de matar Emanuelle já tinha passagem anterior pela polícia.

Nesse sentido, é válido destacar que ainda em 1988, Agnaldo foi preso e chegou a cumprir pena. De acordo com Antônio José Fernades Vieira, o suspeito foi preso anteriormente por assassinato e a vítima seria o seu próprio irmão.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!