No fim de 2013, Suzane Von Richthofen - conhecida por ter sido uma das principais envolvidas no assassinato dos pais - realizou uma série de avaliações psicológicas para pleitear o regime semiaberto na Penitenciária de Tremembé, no interior de São Paulo.

Dentre os obstáculos para que a detenta conseguisse este benefício era o famoso teste de Rorschach, no qual o paciente interpreta e significa imagens abstratas, e, assim, quem analisa a reação da pessoa a estas imagens compreende a sua verdadeira personalidade.

Sabendo do intuito do teste e a forma como o mesmo se desenvolve, Suzane conseguiu uma cópia do teste com o seu advogado para estudar as imagens e já traçar as suas respostas, pensando em como convenceria o avaliador de seu arrependimento por encabeçar o assassinato de seus pais. Entretanto, a estratégia não funcionou.

Nos testes em que fez novamente ao longo dos anos - 2015, 2017 e 2018 - Suzane Von Richthofen revelou-se, segundo o diagnóstico, com uma personalidade limítrofe e com traços narcisistas, entretanto, obteve o benefício em 2015, já que a Justiça alegou que se mantivesse todos os presos com problemas psicológicos em regime fechado, não haveria prisões suficientes.

O crime de Suzane Von Richthofen

O perfil da assassina que marcou a história da criminalística brasileira em outubro de 2002, foi traçado com muitos detalhes ao longo do livro "Suzane: Assassina e Manipuladora", de Ullisses Campbell. Para os criminologistas, Suzane não só planejou o assassinato como instigou Cristian a seguir com o planejado, que nas investigações se mostrou inseguro em levar o plano adiante, como também convenceu o seu namorado, Daniel, pois, para ela, a única forma de continuar com o romance e permanecer com o padrão de vida que tinha era seguir o plano arquitetado por ela.

O livro relata a história de Daniel e Suzane desde o início, quando o até então casal se conheceu quando o rapaz começou a dar aulas de aeromodelismo ao irmão mais novo de Suzane, Andreas. Em um primeiro momento, a garota tentou se relacionar com outro instrutor que já namorava e não quis trair a namorada. Assim, Suzane Von Richthofen e Daniel começaram a se aproximar.

Os pais de Suzane Von Richthofen acreditavam que seria apenas um romance de verão, porém, ele começou a se tornar cada vez mais sério, e a preocupar os Richthofen de como o relacionamento estava se tornando cada vez mais obsessivo, tanto que Daniel começou a se automutilar como uma suposta prova de amor.

Para desviar a atenção dos pais, que não concordavam com o relacionamento, Suzane dizia que iria se encontrar com uma amiga ao invés do namorado, e até mesmo criou Fofocas, sugerindo a mãe que o pai poderia estar tendo um caso extraconjugal para desviar a atenção de sua vida.

O livro ainda revela que o relacionamento com os pais não era dos melhores, tanto que não era comum ver a família demonstrar afeto uns com os outros, ao ponto de que a jovem estranhava receber um abraço de uma amiga, já que, segundo a obra, não era algo usual entre a família.

Condenação de Suzane Von Richthofen

Suzane e Daniel foram condenados a 39 anos de prisão, enquanto Cristian foi condenado a 38 anos de reclusão.

O livro revelou como foi parte deste período para os três com inúmeros detalhes, revelando, inclusive, que Cristian teve um caso com um detento enquanto durante os fins de semana recebia visitas íntimas de uma namorada, tendo pedido para a garota trazer uma calcinha preta para as dependências prisionais.

A obra revelou ainda que Suzane foi ameaçada de morte por alguns membros do PCC no tempo em que esteve na prisão, e que o que a "salvou" foi jogar charme para um médico da cadeia, porém, o mesmo negou a investida e a a alertou sobre o rumor de uma rebelião com o foco em acabar com ela.

Com a entrevista exclusiva que concedeu a Gugu, Suzane conseguiu 120 000 reais, e pressionou o irmão para voltar a ser uma das herdeiras da herança, porém, ele negou o pedido e rompeu sua relação com ela.

De acordo com a Veja, o irmão confidenciou a conhecidos ter medo de ser vítima de sua irmã, assim como os seus pais.

Suzane hoje em dia

Suzane, que tentou proibir a publicação da obra de Campbell, mas perdeu na justiça. Hoje em dia Suzane, que é evangélica, está noiva de Rogério Olberg, irmã de uma detenta com a qual convive. Enquanto isso, Daniel mudou o sobrenome, casou-se e retornou com as aulas de aeromodelismo. Já Cristian foi solto em 2017, e preso novamente no ano seguinte por tentativa de suborno e violação do regime semiaberto. Neste ano, Suzane irá tentar conseguir o regime aberto, e terá de passar novamente pelo teste de Rorschach.

Siga a página Fofocas
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!