As unidades escolares da rede pública e privada do Distrito Federal suspenderam as suas atividades por cinco dias, após receberem uma determinação direta do governador, Ibaneis Rocha (MDB).

Além do fechamento das escolas, também ficou proibida a organização de qualquer tipo de aglomeração e de eventos que dependam de alvará para acontecer. Entre esses, é possível destacar shows e também competições esportivas.

Ainda é válido destacar que a decisão citada foi tomada durante a noite da última quarta-feira (11) e o decreto foi publicado no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF).

Ainda a respeito do ocorrido, Álvaro Domingues, o presidente do Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal (Sinepe/DF) chegou a afirmar que não concorda totalmente com a atitude do governador, considerada por ele algo exagerado. Entretanto, Domingues afirma que com certeza existiu um motivo que justifique esse tipo de comportamento.

Também é possível afirmar que o decreto citado afetará em média 560 escolas da rede privada de ensino. Assim, de acordo com Álvaro Domingues, isso chegará a afetar cerca de 600 mil alunos e também por volta de 1 milhão de famílias residentes do Distrito Federal.

No momento em que concedeu a entrevista em questão, a sua principal preocupação era o fato de se o Sinepe conseguiria espalhar o suficiente a notícia para que todas as famílias citadas fossem informadas sobe a medida do Governo.

Medida não parece ter partido dos pais

De acordo com Alexandre Veloso, que faz parte da Associação de Pais e Alunos das Instituições de Ensino do Distrito Federal (Aspa), a medida tomada pelo governador não parece ser algo que tenha se originado a partir dos pais dos estudantes, que poderiam estar preocupados com a disseminação do coronavírus.

Ainda segundo Veloso, a Aspa entende que ainda não existe a necessidade de suspender as aulas, visto que não existe nenhum caso da doença associado às escolas do estado. Entretanto, as autoridades deveriam estar fazendo um trabalho de conscientização sobre o coronavírus e as formas de evitá-lo. Para Alexandre Veloso, essa seria uma maneira de fazer com que o pânico não fosse disseminado no estado.

Ainda na perspectiva de Veloso, a suspensão das aulas no Distrito Federal faz com que várias questões que poderiam ser minimizadas passem a ser debatidas como, por exemplo, o que os pais farão com as crianças para poder continuar cumprindo a sua rotina normalmente, assim como durante o período escolar.

Siga a página Governo
Seguir
Siga a página Educação
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!