A Polícia prendeu nesta quinta-feira (7), uma mulher de 40 anos e sua filha, de 19 anos, suspeitas de participarem do assassinato de um comerciante de 61 anos para se apossar da casa dele. O crime aconteceu no último final de semana, na cidade de Campo Grande, em Mato Grosso do Sul, e o corpo da vítima, morta com golpes de barra de ferro, foi enterrado no quintal da própria casa. Um suspeito, de 43 anos, ainda está foragido.

De acordo com informações que constam no boletim de ocorrência, o comerciante José Leonel Ferreira Santos morava sozinho e tinha um comércio ao lado de sua casa. Ele costumava manter contato via aplicativo de mensagem com um irmão, que reside na Bahia, com sua filha, que mora Fátima do Sul e, e esporadicamente com sua irmã, que também mora em Campo Grande.

Esse irmão que mora na Bahia teria desconfiado de algumas mensagens que supostamente haviam sido enviadas pelo comerciante e pediu para que a irmã fosse até a casa dele ver o que estava acontecendo. Ao chegar lá, a mulher viu pessoas estranhas ocupando o imóvel e uma delas disse que a casa havia sido alugada por eles pelo período de três meses.

Questionados sobre o dono da casa, as pessoas que estavam a ocupando disseram que o comerciante havia viajado para a Bahia, mas antes teria ido visitar a filha, em Fátima do Sul. No entanto, o carro dele ainda estava na garagem.

Mataram para ficar com a casa

Um boletim de ocorrência foi registrado na polícia, que passou a investigar o caso. Os policiais foram até a casa e Roselaine Gonçalves, acabou confessando que havia matado José Leonel com a ajuda do marido, que está foragido.

O corpo foi enterrado nos fundos da casa, em uma obra inacabada.

A mulher disse que o homem foi morto com golpes de barra de ferro na cabeça na madrugada de sábado (2). No dia seguinte eles se mudaram para o local. Roselaine disse que eles mataram a vítima, pois sabia que ela morava sozinha e queriam ficar com sua casa. A filha confessou que ajudou a enterrar o corpo.

As duas mulheres foram presas sob acusação de ocultação de cadáver. Também foi pedida a prisão do marido de Roselaine, que responderá por ocultação de cadáver, além de homicídio qualificado pelo motivo torpe.

Radialista é morto com golpes de facão

O radialista Vladimir Lenin Rosa, de 39 anos, foi morto na última quinta-feira (7), em um acampamento que fica na cidade de Maracaju, a 158 quilômetros de Campo Grande, em Mato Grosso do Sul.

Um jovem de 22 anos foi preso hora depois do crime e confessou participação no assassinato. A polícia segue procurando outro suspeito, que está foragido.

De acordo com informações da polícia, o radialista estava com o jovem dentro de um barraco em um acampamento conhecido como Poerinha. Eles teriam consumido bebida alcoólica e drogas durante a madrugada e o corpo da vítima só foi encontrado pela manhã, após denúncia anônima. As motivações do crime não foram reveladas.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!