Desde o início da pandemia do novo coronavírus, regras estão sendo estipuladas por traficantes de comunidades do Rio de Janeiro. Através de um carro de som, traficantes da favela Vila Aliança, Zona Oeste, informaram que novas regras irão ser impostas decorrente ao número de vítimas do coronavírus.

O recado dizia que as lojas da comunidade iriam ficar abertas até às 20h. O mesmo horário é estipulado para a circulação das pessoas nas ruas, onde o uso das máscaras cirúrgicas passará a ser uma obrigação. Em forma de ameaça, os traficantes informaram que medidas poderiam ser tomadas para aquelas pessoas que descumprissem o isolamento social estipulado por eles.

Ainda não tiveram relatos de agressões ou até mesmo de mortes de moradores que descumpriram o recado dado pelos criminosos.

Moradores que residem nas comunidades do Morro da Providência, Morro do Pinto, Morro da Conceição, Santo Cristo Saúde ou Gamboa, estão sendo notificados através de áudios e mensagens pelo WhatsApp. De acordo com informações do portal G1, nessas comunidades o horário de recolher é a partir das 22:00 horas. Os traficantes das comunidades cariocas também cancelaram todos os eventos que aconteciam frequentemente.

Rio de Janeiro e coronavírus

Autoridades governamentais estão tomando medidas extremas para evitar que pessoas sejam infectadas pelo coronavírus. Recentemente, o prefeito do Rio, Marcelo Crivella, aprovou restrições em alguns bairros de grande comércio.

Vias e calçadões estão sendo fechados por agentes da Guarda Municipal, onde o objetivo é limitar a circulação de pessoas e deixar passar pelo local apenas aquelas pessoas que estão indo a caminho dos seus respectivos trabalhos. O governo informou que será permitido o embarque em transportes públicos se o passageiro estiver usando a máscara cirúrgica.

De acordo com informações do Ministério da Saúde, neste período de quarentena, foram registradas no estado do RJ 1.503 mortes e 15.741 casos confirmados. Os vitimados, em sua maioria, foram aquelas pessoas que se enquadravam no grupo de risco, que seriam aquelas com idade superior a 60 anos ou aquelas que possuíam alguma doença venérea.

Com a proliferação do coronavírus, o Rio de Janeiro ultrapassou pela primeira vez São Paulo e registrou o maior número de mortes em um prazo de 24 horas. Só na capital fluminense, foram 155 mortes confirmadas. A Secretaria Municipal de Saúde esclarece, no entanto, que a maior parte nos óbitos confirmados aconteceu no mês de abril e só entraram no sistema de terça para quarta-feira (7).

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!