Nessa quinta-feira (7), houve uma entrevista na CNN Brasil da secretaria especial da Cultura, Regina Duarte, entre outras coisas, ela minimizou algumas críticas sobre o período da ditadura militar e fez elogios ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Regina Duarte disse, que na humanidade não para de morrer pessoas e ainda, quando se fala de vida, se pode falar de morte. Se tem que “olhar para frente”, se tem que ter amor ao Brasil. Regina termina dizendo, que não é bom ficar “cobrando” coisas que ocorreram nos anos de 1960, 70 e 80.

Ao ser perguntada sobre as mortes no regime militar, Regina Duarte disse que também houve mortes no Governo do ditador soviético Joseph Stalin, do ditador nazista Adolf Hitler.

Regina disse que não quer arrastar um cemitério de mortos nas suas costas, e disse que ela era leve, estava viva e que todos estão vivos.

Durante a entrevista, a secretaria falou que havia uma morbidez devido à pandemia do Coronavírus. Regina acha que tem uma certa “morbidez” no momento, e afirmou que o coronavírus está levando as pessoas uma "morbidez incorporável".

Logo depois, foi perguntado a secretária o porquê do silêncio diante das mortes de vários artistas desde a entrada de Regina Duarte na Secretaria especial de Cultura e disse que não queria fazer um “obituário” na secretaria. Ainda, Regina nega que esteja sofrendo um processo de “fritura”, dizendo que existem algumas pessoas que querem ver ele fora do governo.

Vídeo de Maitê Proença

Ainda, durante essa entrevista da CNN Brasil com Regina Duarte, foi mostrado um vídeo onde a atriz Maitê Proença faz uma crítica sobre a postura da colega sobre a classe artista. Maitê disse que apoiou o início a opinião que era diversa da maioria da classe, mas, estava ali para fazer um chamado para se apresentar o que a secretaria estava fazendo pelos artistas e disse para Regina falar com sua classe.

No mesmo momento que o vídeo estava em exibição, Regina Duarte tirou o fone da equipe de reportagem e não quis ouvir o vídeo. A secretária se irritou bastante com a escolha do vídeo da produção e acabou com a entrevista de repente. A secretaria indagou aos entrevistadores o que eles poderiam ganhar com a exibição desse vídeo, e o que o canal estava “desenterrando” uma fala antiga da sua colega.

Regina disse que não queria ouvir a fala de Maitê Proença, e ressaltou que ela tinha seu telefone particular se caso quisesse conversar com ela. Indignada, Regina Duarte disse que tinha outras coisas para dizer e eles (os âncoras do programa) ficavam “desenterrando mortos”.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!