Uma mulher, de apenas 23 anos, que estava grávida de gêmeos e que tinha sido diagnosticada com coronavírus, faleceu no último domingo (28), após ser submetida a um parto de emergência. Larissa Blanco, que estava grávida de 35 semanas, passou mal e teve que ser internada e não resistiu a complicações após dar à luz.

Mulher contrai coronavírus na gravidez

A jovem Larissa Blanco era moradora da cidade de Macatuba, interior de São Paulo, e veio a óbito em uma unidade hospitalar particular da cidade de Botucatu, depois de ser encaminhada para o local após passar mal. Segundo a prefeitura da cidade de Larissa, a jovem fazia pré-natal na rede particular em Lençóis Paulistas e descobriu que estava com covid-19 no dia 12 de junho, após ter sintomas de gripe.

Larissa se encontrava isolada em casa e passou mal na sexta-feira, 26 de junho, sendo levada para a Maternidade em Lençóis Paulista e no dia seguinte foi encaminhada para um hospital de Botucatu, onde teve que ser submetida a uma cesariana de emergência. A mulher teve complicações após o parto e acabou não resistindo.

Parto de emergência de grávida de gêmeos

Diego Rodrigues, marido de Larissa e pai dos seus filhos, desabafou sobre a morte da esposa. Segundo o rapaz, de 24 anos, ele entrou na sala de parto quando seu primeiro filho estava nascendo e que viu a esposa olhar maravilhada a criança e que se emocionou, pois era o sonho dela.

Ele contou que pouco depois nasceu o segundo bebê e que acreditando que a esposa estava bem se despediu da mesma e foi acompanhar os filhos Guilherme e Gustavo.

Ele contou que mais tarde ficou sabendo que Larissa havia tido uma hemorragia e que teve que ser submetida a uma transfusão de sangue.

Diego relatou que a esposa teve hemorragia que não estava conseguindo ser contida. Larissa teve parada cardíaca e segundo o rapaz, às 06 horas de domingo, ele recebeu a notícia de que ela não tinha resistido.

Os médicos disseram ao rapaz que devido ao covid-19, o corpo de Larissa não estava conseguindo cicatrizar. Os meninos não foram diagnosticados com o novo coronavírus e se encontram internados na unidade hospitalar, pelo fato de terem nascido prematuros.

O rapaz também foi diagnosticado com o covid-19, mas como já não transmite mais a doença, pôde acompanhar a esposa durante o parto e também acompanhar o desenvolvimento dos filhos no hospital até poderem ir para casa.

Desabafo do pai dos gêmeos

Diego Rodrigues lamentou a morte da esposa e disse que quando uma mãe morre durante o parto, ela vira um anjo e que está os protegendo. O rapaz contou que os filhos é que dão forças para que ele possa continuar e que sua vida transformou de uma hora para a outra.

De acordo com o pai dos meninos Guilherme e Gustavo, ele se encontra muito abatido e não consegue tirar a esposa da cabeça, mas que acredita que Deus tem um plano para as suas vidas e que permitiu que as crianças ficassem para ele cuidar, para ter forças. O rapaz contou que chorou muito quando viu os filhos pela primeira vez e que foi a coisa mais linda e que é um alívio ver que os meninos estão bem.

O casal se conheceu no ano passado em uma festa surpresa realizada para a mesma e dias depois estavam namorando.

Tempos depois eles descobriram a gravidez da jovem e que eram gêmeos, o que os deixou muito felizes. O casal realizou um ensaio fotográfico, dias antes do parto e segundo o mesmo, serão usadas para relembrar os bons momentos.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Maternidade
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!