Os crimes cometidos contra crianças costumam criar grande revolta e tristeza quando são noticiados, ainda mais quando são praticados pelos próprios genitores, que deveriam dar amor, carinho e proteção. Um desses crimes tristes ocorreu na cidade de São Bernardo do Campo, em São Paulo, nesta segunda-feira (29).

Mulher ataca bebê e tira a sua vida

Jéssica Silva, de 27 anos, se encontrava na tarde da última segunda-feira no apartamento onde morava com a família em São Bernardo do Campo, região metropolitana de São Paulo, quando teve um surto e atacou a filha de nove meses de vida.

A mulher estava no apartamento de luxo, localizado no décimo segundo andar do prédio, com as duas filhas, uma de nove meses e uma de nove anos, e com o cunhado, quando pegou uma faca e atacou a filha bebê.

Jéssica cortou o pescoço da criança menor com o objeto e tentou atacar a outra filha, quando foi impedida pelo cunhado.

Tio salvou outra filha de ser atacada

Após atingir a filha bebê com a faca, Jéssica partiu em direção à primeira filha, mas seu cunhado, que tem origem haitiana, impediu que a mesma a atingisse. O homem travou uma luta corporal com a esposa do seu irmão e conseguiu imobilizá-la. A Polícia Militar foi acionada por vizinhos que ouviram a confusão no apartamento.

Ao chegar ao local, os policiais encontraram a pequena Ivyalla Silva Chaumett já sem vida. A outra menina foi encaminhada para uma unidade de saúde, junto com o seu tio. A mulher também foi encaminhada para um Hospital de Urgências.

Ao depor na delegacia, Jéssica alegou não se lembrar do que aconteceu e informou que tem problemas psiquiátricos e por isso mesmo faz uso de remédios controlados. A mulher é casada com um médico do Haiti, que trabalha no Brasil e não se encontrava em casa no momento em que a esposa atacou a filha bebê.

A ocorrência foi registrada na 1ª DP de São Bernardo do Campo como fragrante de homicídio qualificado.

Morte do menino Miguel

A morte do menino Miguel, 5 anos, é outra que chocou os brasileiros no começo de junho. No dia 2, o menino teve que ir para o emprego com a sua mãe Mirtes, que trabalhava como doméstica para a família do Prefeito de Tamandaré.

A mãe do menino teve que sair para levar o cachorro da patroa para passear e deixou o menino sob os cuidados da mesma.

Sarí Côrte Real deixou o menino sozinho no elevador do prédio e depois de descer no nono andar e subir em uma grade de proteção, em uma área de manutenção de ar-condicionado, a criança caiu de uma altura de mais de 30 metros. Mesmo sendo socorrido, Miguel não resistiu aos ferimento e veio a óbito.

A patroa de Mirtes foi presa na ocasião, mas recebeu liberdade após pagar uma fiança de 20 mil. Ela está respondendo em liberdade pelo crime de homicídio culposo, quando não há intenção de matar. Perícias liberadas nesta terça-feira (30) concluíram que a mulher apertou o botão da cobertura do prédio ao deixar o menino sozinho no elevador e que o mesmo já havia ido até o objeto por quatro vezes, sendo tirado do local todas as outras ocasiões pela mulher.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Maternidade
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!