Um crime trágico ocorrido na cidade de Planalto, no Rio Grande do Sul, causou comoção no Brasil. Isso porque, além da pessoa morta ser uma criança de 11 anos (Rafael Winques), o outro fato que chama a atenção no crime, é o fato da própria mãe ser a principal suspeita do assassinato. Em muitas reviravoltas no caso, a mãe já confessou, voltou atrás e desmentiu e voltou a confessar que matou o próprio filho. A Polícia Civil do Rio Grande do Sul está próxima de concluir as investigações e na manhã desta quinta-feira (2), ela divulgou novas pistas que podem contribuir para as investigações. As informações foram sobre perícias realizadas em seu dispositivo e descobriram o que ela acessou no dia do crime.

Descoberta da Polícia Civil

Os materiais descobertos pela Polícia Civil do Rio Grande do Sul foram vídeos e sites que a mãe do menino acessou no dia do crime. Alguns desses vídeos acessados por ela, tinha conteúdo de relacionamento íntimo violentos e em outros vídeos o conteúdo era estrangulamento com cordas. Segundo o delegado do caso Eibert Moreira Neto, o conteúdo dos vídeos acessados por Alexandra (mãe de Rafael Winques) chamaram a atenção por suas características, já que continham cenas de abuso, cenas íntimas com violência e todas acompanhadas de asfixia: "...tanto por esganadura, tanto por estrangulamento por corda".

Perícia no celular de Alexandra

Ainda de acordo com o delegado Eibert Moreira Neto, a perícia técnica ainda conseguiu acessar dados do celular dela que haviam sido apagados.

Ele disse que recuperou algumas fotos de conteúdo pornográfico, onde uma mulher apareceu com uma corda ao redor do seu pescoço. Essas imagens remeteram à morte do menino Rafael Winques, segundo o delegado. O IGP (Instituto Geral de Perícias) informou que não achou nenhum indício de violência sexual no corpo de vítima.

Outro fato descoberto no aparelho móvel da acusada, foi o fato dela ter feito compras de alguns produtos de limpeza em um aplicativo de compras (Mercado Livre). Contudo, a perícia técnica não soube informar o horário dos vídeos acessados e os produtos comprados na noite do dia 15 de maio.

Indiciamento da mãe de Rafael

Nesta quinta-feira (2), a Polícia Civil concedeu uma coletiva de imprensa, onde apresentou o indiciamento da mãe de Rafael Winques, por homicídio triplamente qualificado. Dentre os detalhes da divulgação foram acrescentados os motivos: falsidade ideológica, motivo fútil, ocultação de cadáver, impossibilidade de defesa da vítima e asfixia.

Por outro, a defesa de Alexandra, ou seja, a Defensoria Pública do estado, falou que não teve uma conversa com a acusada sobre o processo, devido ao motivo dela estar internada em um hospital, tratando de um problema em sua saúde.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!