A história triste de um rapaz de apenas 19 anos tem ganhado os noticiários nos últimos dias. Leandro Santos Azevedo faleceu vítima de coronavírus no dia 30 de junho, em Salvador, na Bahia, mas antes de morrer ele enviou alguns áudios assustados para a namorada.

Rapaz testou positivo para coronavírus

Leandro estava internado no hospital de campanha do Wet'n Wild, em Salvador, quando mandou uma mensagem para Talyta Fernandes dizendo que os médicos iriam entubá-lo, mas que desligariam os aparelhos. Segundo a moça, o namorado sentiu os primeiros sintomas para o novo coronavírus na madrugada de segunda-feira (29), momento em que foi levado para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) na cidade.

Na unidade de saúde, Leandro foi submetido ao teste para Covid-19, que deu positivo. A jovem contou que seu namorado começou a ter falta de ar e, como mora perto da UPA, foram para o local. Após ter o diagnóstico para o coronavírus, os médicos disseram que ele teria que ser internado e, pouco tempo depois, foi levado para o hospital de campanha.

Áudio enviado para a namorada

Segundo Talyta, na noite de segunda-feira Leandro mandou um áudio para ela, onde dizia que os médicos iriam entubá-lo todo e desligar os aparelhos. "Eles vão me entubar todo aqui, véi. Vão desligar o aparelho", disse. O rapaz ainda pediu para que a namorada fosse ao hospital na manhã do dia seguinte.

Ela conta que perguntou a ele como estava e ele teria comentado que estava bem melhor.

A moça conta que o rapaz falou sobre a entubação e que eles iriam desligar os aparelhos por três dias. Talyta questionou se ele já estava entubado e ele disse que não.

Segundo a mulher, ela tentou acalmar o namorado dizendo que nada ocorreria com ele e mandou fotos. Ela conta que Leandro disse que iria dormir e ela continuou mandando mensagens para ele até à 1h da manhã, quando enviou uma corrente de oração.

Nota da Secretaria de Saúde

Segundo a Secretaria de Saúde da cidade, a entubação de Leandro ocorreu após uma piora no estado de saúde do rapaz. Talyta informou que a família de Leandro ficou sabendo da morte do rapaz após uma ligação de uma assistente social do hospital.

A mulher ligou pedindo que a família levasse documentos do rapaz à unidade de saúde, mas não falaram sobre seu óbito.

Talyta conta que foi com a sogra ao hospital e, quando chegaram ao local, a assistente disse que os pertences de Leandro estavam em um canto e que as mesmas deviam esperar por uma médica que ia conversar com elas.

A moça contou que a médica disse que Leandro havia vomitado e, como a sua saturação caiu, ele teve que ser entubado, quando o rapaz sofreu uma parada cardíaca e veio a óbito. A SMS afirmou ainda que uma equipe responsável por fiscalizar as metas qualitativas dos atendimentos fará uma apuração dos fatos. Talyta contou que eles tinham intenção de morar juntos e que Leandro era um rapaz incrível e com um coração muito bom.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!