Os casos de coronavírus estão aumentando a cada dia e, diante deste quadro, alguns recordes são registrados em um curto espaço de tempo.

Pelo quinto dia seguido, o Brasil ultrapassa a marca de mil mortes em períodos de 24 horas. Os números divulgados pelo Ministério da Saúde foram de 1.091 óbitos, somando 64.265 mortes pelo novo coronavírus no total.

De acordo com informações do portal UOL, o consórcio de veículos de imprensa informou que o país registrou 1.111 mortes nas últimas 24 horas, cem a mais do que divulgado pelo ministério da saúde, somando 64.365 óbitos.

O consórcio de veículos de imprensa leva em consideração os registros estaduais feitos pelas secretarias dos estados.

Novos casos

Nesta sexta-feira (3), o ministério da saúde registrou 1.290 óbitos pela Covid-19 referente ao dia anterior.

De acordo com os números atualizados do governo federal, o Brasil registra 37.923 novos casos da doença, 1.577.004 infectados pelo vírus, 876.359 casos recuperados e 636.380 pacientes em acompanhamento.

Com os últimos números registrados e confirmados pelo consórcio, o número assustador de quase 6 mil óbitos foram registrados nos últimos cinco dias. Do dia 30 de junho até este sábado (4), soma-se um total de 5.980 mortes.

OMS

A OMS (Organização Mundial de Saúde) informou um novo recorde de casos a nível global, mais de 200 mil infectados foram registrados em um dia.

De acordo com relatório atualizado diariamente pela OMS, os Estados Unidos, Brasil e Índia são os países que registram maiores aumentos de casos.

Até este sábado, o maior registro já feito foi de 189.077 novos casos. Os números foram divulgados no dia 28 de junho, sendo superados neste sábado.

Segundo a instituição, o número de mortes permanece estável, mantendo uma média de cinco mil óbitos por dia.

Jair Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tomou uma decisão recentemente que restringe a divulgação de dados sobre a pandemia do novo coronavírus.

Sua decisão causou polêmicas e foi questionada, inclusive, por órgãos de saúde.

Em defesa da transparência e direito do cidadão de ter acesso a todos os dados, alguns veículos de comunicação se uniram e formaram um consórcio para buscar as informações diretamente das secretarias estaduais de saúde.

O grupo que trabalha de maneira colaborativa conta com O Globo, G1, UOL, Folha de S.Paulo, O Estado de São Paulo e o Extra.

As informações referentes à pandemia são coletadas nas secretarias de todos os estados do país, incluindo o Distrito Federal.

De acordo com o consórcio de imprensa, o governo de Bolsonaro deveria ser o único responsável pela divulgação dos números referentes à pandemia, porém as atitudes tomadas por autoridades e pelo próprio presidente criaram um ambiente de dúvidas, botando a precisão de suas informações em xeque.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Saúde
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!